Fábio Motta/Estadão Conteúdo

Presidenciáveis condenam ataque a Bolsonaro

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Por Clara Sasse

Candidatos à presidência da República comentaram o ataque contra Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira (6), nas redes sociais. Todos repudiaram a ação contra o militar da reserva e disseram que os debates políticos não podem ser substituídos por violência.

O presidenciável Henrique Meirelles (MDB) disse que deseja pronta recuperação a Jair Bolsonaro e lamentou todo e qualquer tipo de violência. O candidato também afirmou, em nota, que o Brasil precisa encontrar o equilíbrio e o caminho da paz e que é preciso ter serenidade para apaziguar a divisão entre os brasileiros.

Desejo pronta recuperação a Jair Bolsonaro. Lamento todo e qualquer tipo de violência. O Brasil precisa encontrar o equilíbrio e o caminho da paz. Temos que ter serenidade para apaziguar a divisão entre os brasileiros.

— Henrique Meirelles (@meirelles) September 6, 2018

O concorrente ao Planalto pelo PDT, Ciro Gomes, exigiu ações das autoridades na identificação dos responsáveis por essa “barbárie” e disse que repudia a violência como linguagem política. João Amoêdo, do Novo, afirmou que divergências políticas não justificam o ocorrido e que “não é possível aceitar nenhum ato de violência”.

Acabo de ser informado em Caruaru, Pernambuco, onde estou, que o Deputado Jair Bolsonaro sofreu um ferimento a faca. Repudio a violência como linguagem politica, solidarizo-me com meu opositor e exijo que as autoridades identifiquem e punam o ou os responsáveis por esta barbárie.

— Ciro Gomes (@cirogomes) September 6, 2018

É lamentável e inaceitável o que aconteceu com o Jair Bolsonaro. Independentemente de divergências políticas, não é possível aceitar nenhum ato de violência.
Que o agressor sofra as devidas punições. Meus votos de melhoras para o candidato.

— João Amoêdo 30 (@joaoamoedonovo) September 6, 2018

Álvaro Dias, do Podemos, fez crítica à Bolsonaro dizendo que é, por casos como esse, que a violência nunca deve ser estimulada. Candidato do PSDB, Geraldo Alckmin escreveu que “política se faz com diálogo e convencimento, jamais com ódio”. O tucano comentou, ainda, que espera que a investigação “seja rápida, e a punição, exemplar”.

Sobre o episódio da facada no candidato Jair Bolsonaro, quero afirmar aqui que repudio todo e qualquer ato de violência. Por isso a violência nunca deve ser estimulada. Eu não estimulo.

— Alvaro Dias (@alvarodias_) September 6, 2018

Política se faz com diálogo e convencimento, jamais com ódio. Qualquer ato de violência é deplorável. Esperamos que a investigação sobre o ataque ao deputado Jair Bolsonaro seja rápida, e a punição, exemplar.

— Geraldo Alckmin (@geraldoalckmin) September 6, 2018

Candidato do PSOL, Guilherme Boulos reafirmou o discurso de repúdio a “toda e qualquer ação de ódio” e cobrou investigações sobre o caso. Marina Silva, da Rede, disse que configura um atentado contra a integridade física de Bolsonaro e contra a democracia.

Soube agora do que ocorreu com Bolsonaro em Minas. A violência não se justifica, não pode tomar o lugar do debate político. Repudiamos toda e qualquer ação de ódio e cobramos investigação sobre o fato.

— Guilherme Boulos 50 (@GuilhermeBoulos) September 6, 2018

A violência contra o candidato Jair Bolsonaro é inadmissível e configura um duplo atentado: contra sua integridade física e contra a democracia.

— Marina Silva 18 (@MarinaSilva) September 6, 2018

Em breve comentário, o concorrente do PT, Fernando Haddad, afirmou ser contra o ato de violência e que deseja “pronto restabelecimento a Jair Bolsonaro”. O presidente Michel Temer também comentou, durante evento no Palácio do Planalto, que o episódio é lamentável.

Repudio totalmente qualquer ato de violência e desejo pronto restabelecimento a Jair Bolsonaro.

— Fernando Haddad (@Haddad_Fernando) September 6, 2018

Fonte: Agência do Rádio Brasileiro

Crédito da foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.