Prêmio Firjan Ambiental 2021: inscrições podem ser realizadas até 26 de abril

iniciativa reconhece práticas empresariais no Rio de Janeiro que contribuem para o avanço da agenda do desenvolvimento sustentável, e que tenham conciliado as suas atividades produtivas com a proteção ambiental, o equilíbrio econômico e o bem-estar social.

Até 26/04, estão abertas as inscrições para a 9ª edição do Prêmio Firjan Ambiental. A iniciativa reconhece práticas empresariais no Rio de Janeiro que contribuem para o avanço da agenda do desenvolvimento sustentável, e que tenham conciliado as suas atividades produtivas com a proteção ambiental, o equilíbrio econômico e o bem-estar social. Poderão participar empresas, associações, sindicatos, instituições de ensino e pesquisa e integrantes do terceiro setor, cujos projetos estejam alinhados com as categorias e suas definições.

A premiação é dividida em cinco categorias: Água e Efluentes; Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos; Mudança do Clima e Eficiência Energética; Resíduos Sólidos; e Relação com Partes Interessadas. Nesta edição, o prêmio volta a considerar, entre os critérios de avaliação, a contribuição dos projetos aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU).

Os projetos devem estar concluídos ou estar em fase de implantação com resultados mensuráveis nos anos de 2019 e/ou 2020. Além disso, de acordo com o regulamento, podem participar instituições com sede em outros estados, desde que o projeto apresentado tenha sido implementado no estado do Rio.

A iniciativa é uma realização da Firjan para promover a divulgação das ações que contribuem para a sustentabilidade do estado do Rio, reconhecendo iniciativas com potencial para motivar e influenciar positivamente demais instituições.

Projetos reconhecidos

Em 2016, a Carbografite, instalada em Itaipava, foi premiada pelo desenvolvimento do Projeto Água e a empresa Hi-Tech Indústria Química, de Comendador Levy Gasparian, foi homenageada com menção honrosa por sua Linha Biossustentável Inteligente.

No ano seguinte, a Águas do Imperador ganhou o prêmio pela implantação de 10 biossistemas em periferias de Petrópolis, projeto de saneamento ambiental de tratamento biológico de dejetos humanos a partir da reciclagem de nutrientes e da produção de biogás. Outra vencedora foi a Nova A3, de Areal, com a criação de um kit com luvas plásticas descartáveis e folheto informativo, feitos com polietileno verde e eucalipto reflorestado e com impressão em tinta à base de água.

Em 2018, a Le Canton Redes Hoteleiras, que possui uma unidade em Teresópolis, venceu ao incorporar a educação na gestão ambiental da empresa. Cerca de 3 mil pessoas foram mobilizadas, entre colaboradores, horticultores, alunos e professores de escolas vizinhas, representantes da sociedade civil, do poder público e da comunidade do entorno.

Na mesma edição, a concessionária Concer venceu na categoria Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos com a implantação de medidas, como cercas de proteção e passagens de fauna com câmeras de monitoramento na BR-040 para evitar o atropelamento de animais.

As inscrições podem ser feitas em www.firjan.com.br/premioambiental, local onde também está disponível o regulamento completo. Outras informações podem ser obtidas através do e-mail premioambiental@firjan.com.br.

A premiação é dividida em cinco categorias: Água e Efluentes; Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos; Mudança do Clima e Eficiência Energética; Resíduos Sólidos; e Relação com Partes Interessadas. Nesta edição, o prêmio volta a considerar, entre os critérios de avaliação, a contribuição dos projetos aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU).

Os projetos devem estar concluídos ou estar em fase de implantação com resultados mensuráveis nos anos de 2019 e/ou 2020. Além disso, de acordo com o regulamento, podem participar instituições com sede em outros estados, desde que o projeto apresentado tenha sido implementado no estado do Rio.

A iniciativa é uma realização da Firjan para promover a divulgação das ações que contribuem para a sustentabilidade do estado do Rio, reconhecendo iniciativas com potencial para motivar e influenciar positivamente demais instituições.

Projetos reconhecidos

Em 2016, a Carbografite, instalada em Itaipava, foi premiada pelo desenvolvimento do Projeto Água e a empresa Hi-Tech Indústria Química, de Comendador Levy Gasparian, foi homenageada com menção honrosa por sua Linha Biossustentável Inteligente.

No ano seguinte, a Águas do Imperador ganhou o prêmio pela implantação de 10 biossistemas em periferias de Petrópolis, projeto de saneamento ambiental de tratamento biológico de dejetos humanos a partir da reciclagem de nutrientes e da produção de biogás. Outra vencedora foi a Nova A3, de Areal, com a criação de um kit com luvas plásticas descartáveis e folheto informativo, feitos com polietileno verde e eucalipto reflorestado e com impressão em tinta à base de água.

Em 2018, a Le Canton Redes Hoteleiras, que possui uma unidade em Teresópolis, venceu ao incorporar a educação na gestão ambiental da empresa. Cerca de 3 mil pessoas foram mobilizadas, entre colaboradores, horticultores, alunos e professores de escolas vizinhas, representantes da sociedade civil, do poder público e da comunidade do entorno.

Na mesma edição, a concessionária Concer venceu na categoria Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos com a implantação de medidas, como cercas de proteção e passagens de fauna com câmeras de monitoramento na BR-040 para evitar o atropelamento de animais.

As inscrições podem ser feitas em www.firjan.com.br/premioambiental, local onde também está disponível o regulamento completo. Outras informações podem ser obtidas através do e-mail premioambiental@firjan.com.br.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Museus do estado propõem debate enquanto comemoram data especial

Programada para ocorrer a partir desta segunda-feira, dia 17, até domingo, dia 23, a 19ª Semana Nacional de Museus terá como tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar”, que propõe a reflexão sobre o futuro dos espaços, sem esquecer o compromisso criativo com o presente.