Prefeitura quer manter reduzido número de casos de dengue no município

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Vigilância Ambiental está se mobilizando para realizar o primeiro Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) que ocorrerá na segunda quinzena de janeiro de 2018. Através dos resultados será possível identificar as áreas com possíveis focos de proliferação do mosquito e intensificar as ações preventivas da dengue. A prefeitura busca manter a redução dos casos da doença. No último verão forma registrados apenas 33 casos de dengue – uma redução de quase 96% no número de casos frente aos dados de 2016.

São 50 agentes de endemias que estão atuando de forma rotineira nas visitas domiciliares orientando a população a ficar alerta com possíveis criadouros do mosquito. Nesta época do ano, devido às chuvas de verão, qualquer objeto esquecido no quintal pode se tornar espaço para o acumulo de água –  ambiente ideal para a proliferação do Aedes aegypti.

“No verão passado tivemos 789 notificações de dengue, sendo que duas pessoas vieram a óbito devido a complicações decorrentes da doença. O número de casos de Zika, que em 2016 atingiu 361 pacientes, neste ano foi reduzido a zero. A Chikungunya que contaminou oito pacientes no ano passado, este ano teve apenas três casos registrados. Esses dados mostram a eficiência do combate aos focos de criadouros do mosquito”, afirma a superintendente de Atenção à Saúde, Fabíola Heck.

Em janeiro foi lançada a campanha da prefeitura “Xô Mosquito” que reuniu esforços não só de profissionais da Secretaria de Saúde, mas também da Educação e da Defesa Civil e Ações Voluntárias. A coordenadora da Vigilância Ambiental, Maria Beatriz Pellegrini, explica que as ações preventivas estão sendo realizadas constantemente pelos agentes de endemias em diversos bairros do município.

“Realizamos neste ano cinco Levantamentos de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) que foram programados de acordo com cronograma da Secretaria de Saúde do Estado. A ação durante o inverno teve caráter preventivo, agora é a hora da população se unir e manter a vigilância nos seus quintais evitando o acumulo de água nos objetos e principalmente nos vasos de plantas”, orienta.

A Vigilância Ambiental mantém as visitas aos imóveis e os monitoramentos nas áreas apontadas no Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa), mesmo com o nível baixo de infecção para o mosquito Aedes Aegypti nas regiões localizadas nos bairros do Independência, Quitandinha, Valparaíso, Coronel Veiga, Castelânea, Boa Vista, Carangola, Nogueira, Itaipava, Benfica, Secretário e Pedro do Rio.

“Nossa ação é educativa e estamos em busca de multiplicadores que nos ajudem a conscientizar toda a comunidade sobre a importância de se acabar com os focos do mosquito. Conscientizando a população sobre os cuidados poderemos chegar ao verão, que é quando normalmente a doença reaparece, com mais frequência”, avalia Maria Beatriz Pellegrini.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.