Ações de conscientização nas comunidades e nas escolas municipais, treinamento das equipes de resposta às ocorrências causadas pelas fortes chuvas, além da apresentação dos planos de contingência do município para a estação e também suas matrizes de atividades e responsabilidades: a prefeitura lança nesta quarta-feira (28.11) o Plano Verão 2019 de Petrópolis, às 14h, na Casa dos Conselhos Augusto Zanatta. O conjunto de atividades do governo municipal contempla as principais ameaças deste período: deslizamentos de terra, inundações, rolamentos de blocos rochosos, vendaval e tempestades de raio. O objetivo do trabalho antecipado e organizado é minimizar os efeitos das mudanças climáticas no município, além de aperfeiçoar o atendimento da população em caso de desastre.

“A prevenção aos desastres de origem natural está sendo prioridade desde o início da nossa gestão. A partir de agora, até o final do verão, o plantão para atendimento da população é permanente, mantendo agentes em prontidão por 24h, sete dias por semana”, garante o prefeito Bernardo Rossi.

Os números mostram a necessidade da organização dos órgãos para o próximo verão: no último ano, os índices de chuva cresceram 120% e a quantidade de ocorrências registradas subiu 48%. Com 234 áreas de risco alto ou muito alto – equivalente a 18% do município – e um déficit habitacional de 12 mil casas, a prefeitura considera fundamental que as ações tenham como foco a prevenção aos desastres de origem natural.

Segundo o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, a pasta organizou treinamentos e simulados com o objetivo de aperfeiçoar a resposta dos órgãos em caso de tragédia. Também fazem parte do Plano Verão municipal os projetos SOS Chuvas e o Rio Limpo.

“Esse é um trabalho organizado por diversas mãos desde o início do governo. O resultado é um plano que tem como objetivo organizar a resposta aos desastres naturais, além de ações que podem minimizar os efeitos das fortes chuvas. Nossa ideia é transformar Petrópolis em uma cidade resiliente modelo para o país”, disse Paulo Renato.

Os cinco planos de contingência e suas matrizes de responsabilidade estão disponíveis para a população no site da prefeitura de Petrópolis www.petropolis.rj.gov.br.

Calendário de visitação aos pontos de apoio

Começa na quinta-feira (29.11) as visitas aos pontos de apoio dos bairros que apresentam maior risco geológico e hidrológico e a entrega das cartilhas de prevenção aos desastres de origem natural. O calendário da Defesa Civil segue até o dia 18 de dezembro e acontece nas 12 comunidades que contam com as sirenes do Sistema de Alerta e Alarme: Gentio, Buraco do Sapo, 24 de Maio, Alto da Serra, Bingen, Dr. Thouzet, Independência, Quitandinha, São Sebastião, Sargento Boening, Siméria e Vila Felipe.

“Os pontos de apoio precisam estar abertos para atenderem a população no momento em que a sirene. A organização destes locais é parte fundamental do nosso trabalho de resposta, permitindo que a população permaneça em um local seguro até que se retorne à normalidade”, explica Paulo Renato, garantindo que até o final do ano mais de cinco mil cartilhas serão entregues à população.

“O objetivo é que Petrópolis passe a ser reconhecida como a cidade da prevenção de desastres. Dessa maneira, em conjunto com a população, a gente se torna uma cidade mais segura e menos vulnerável aos desastres de origem natural”, completa o secretário de Defesa Civil.