Prefeitura e Sepe abrem negociações pelas reivindicações dos profissionais da Educação

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Em reunião nesta quinta-feira (21.06) o prefeito Bernardo Rossi e o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação – Sepe Petrópolis –  retomaram as negociações para avanços reivindicados pela categoria formada por mais de 4 mil pessoas atuantes em 184 unidades educacionais. O  Sepe foi representado por sua presidente, Rose Silveira e pela diretora de finanças da instituição, Claudete Neves

O prefeito Bernardo Rossi apresentou às sindicalistas as dificuldades do poder público municipal em aplicar vantagens que significam despesas financeiras ao município que sofre com rombo de R$ 766 milhões de dívidas contraídas em gestões passadas.

“Tivemos um esforço grande para manter a folha de pagamento em dia no ano passado e seguir assim em 2018. Pagamos o 13º salário de 2017 e ainda repusemos valores arrestados em 2016 para pagar o 13º salário; quitamos R$ 3,6 milhões de empréstimos consignados dos servidores que foram descontados de seus salários, mas não repassados pela gestão passada aos bancos. Só na Educação, os consignados somavam R$ 2,5 milhões.  Então, temos garantido o que é obrigação de todo governo, é claro, mas que poderia ter sido inviabilizado pela irresponsabilidade das gestões anteriores”, destacou o prefeito.

A convocação de 82 concursados da Educação e evolução no pagamento das licenças-prêmio também foi destacada pelo prefeito.  “Estamos avançando no que é possível. O governo mantém em dia a folha de pagamento da Educação que é de R$ 198 milhões por ano em dia. Queremos avançar mais e hoje iniciamos a pauta de reivindicações com estudos necessários”, assinala Bernardo Rossi.

Uma nova reunião foi marcada para o dia 06 de julho. Para Rose Silveira, importante o canal de diálogo estar aberto: “a categoria está unida e vamos cobrar o estabelecido hoje. Que seja discutido e que avance”, afirma.  A liberação de mais licenças-prêmio e a convocação de mais concursados fazem parte da pauta de reivindicações que inclui ainda liberação de gratificação pelo difícil acesso e documento que estabelece o porte das unidades em quantidade de professores.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

1 comentário
  1. Sheila Diz

    Acho que ele não vai fazer nada sobre o assunto. Ficando tudo exatamente como está. Ele está simplesmente querendo se livrar do vexame de manifestações com a cidade cheia de turistas . Passando essa fase da festa ela jamais nos receberá novamente e tão pouco entrar em um acordo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.