Prefeitura de Petrópolis reforça: escolas devem continuar com cuidados e campanhas de prevenção à Covid-19

Casos suspeitos e confirmados devem ser comunicados à Secretaria de Educação e Coordenação de Vigilância Epidemiológica.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

As escolas particulares e estaduais que já receberam o selo “Escola Segura” estão autorizadas a atender presencialmente os alunos desde maio, no entanto, o funcionamento está atrelado ao cumprimento das medidas necessárias que garantem a segurança da comunidade escolar. Atualmente, 75 escolas da rede privada possuem o selo e outras 9 do Estado também têm o documento. Todas passaram pela visita da comissão de fiscalização e têm conhecimento dos 48 itens do check list do roteiro de inspeção preparado em conjunto pelas Secretarias de Saúde e Educação, sob a coordenação da Vigilância Epidemiológica e com suporte da Vigilância Sanitária, que pontua os cuidados que devem ser preconizados no ambiente escolar.

“Nossa cidade avança a cada dia na vacinação e, por isso, a flexibilização de muitos serviços foi possível. Mas, os cuidados ainda devem continuar porque a pandemia não acabou. Isso também diz respeito ao ambiente escolar. Os documentos norteadores são claros e devem ser seguidos”, afirma a secretária de Educação, Marcia Palma.

Entre os principais pontos observados no ato da visitação da comissão e Vigilância e que devem ter continuidade durante o atendimento presencial dos alunos estão:

Disponibilização de cartazes sobre higiene das mãos visíveis nos locais de lavagem;
Cartazes sobre o distanciamento físico visíveis na entrada da escola;
Orientações sobre higiene respiratória (tosse e espirro) visíveis na entrada da escola;
Cartazes sobre o uso de máscaras (onde recomendado) visíveis na entrada da escola;
Avisos para permanência em casa em casos de sintomas de doenças, visíveis na escola;
Sinalização do espaçamento no piso (1,0 m);
Uso de carteiras e mesas e demais mobiliários que permitam a higienização com produtos de limpeza;
Local adequado, restrito e ventilado para depósito do material de limpeza (DML) com identificação;
Local de acondicionamento do lixo, de forma adequada, dispondo para coleta pública;
Disponibilização de tapete sanitizante (1 para cada 100 alunos) nas entradas da unidade;
Local para lavagem das mãos na entrada da unidade;
Na ausência de local para lavagem das mãos na entrada da unidade, disponibilização de Álcool Gel 70% para higienização;
Termômetros infravermelhos disponíveis para aferição de temperatura corporal;
Sanitários providos de sabão líquido;
Sanitários providos de toalhas descartáveis;
Dependências, em sua totalidade com lixeira com saco plástico e tampa sem acionamento manual;
Refeitório com Mesas, cadeiras e demais espaços de ocupação pelos alunos reorganizados com espaço para manter a distância entre os usuários;
Orientação dos funcionários quanto à necessidade e o uso correto dos EPIs;
Orientação dos funcionários quanto as normas de biossegurança (Uso de EPIs, uniformes, lavagem das mãos) em todas as atividades da unidade;
Treinamento dos funcionários para acompanhar a entrada dos estudantes, paramentados com EPIs, para orientar higienização dos pés e das mãos e aferição obrigatória de temperatura dos alunos e profissionais;
Mesas, cadeiras e demais espaços de ocupação pelos alunos da sala de aula, laboratórios e outros ambientes, estão reorganizados com espaço para manter a distância de pelo menos 1,0 metro entre os estudantes, com cadeiras viradas para mesma direção e com espaços vazios sinalizados;

Casos suspeitos e confirmados devem ser comunicados

Ao constatar casos suspeitos ou confirmados de covid no ambiente escolar – estudantes ou funcionários, a instituição de ensino deve comunicar oficialmente à Coordenação de Vigilância Epidemiológica, através do telefone 2246-6797. É a Vigilância quem vai orientar qual trâmite deve ser adotado pela instituição de ensino, avaliando cada caso. A escola também deve informar à Secretaria de Educação através do email: [email protected]

Dúvidas podem ser esclarecidas através do telefone do Departamento de Inspeção Escolar: 2246-8675.

“Importante deixar claro que, quando há caso de covid registrado na unidade escolar, um protocolo deve ser seguido e é a Vigilância quem orienta a instituição de ensino como deve proceder, por isso, esse acompanhamento é tão necessário. Todas as escolas devem cumprir esse trâmite, informar tanto à Saúde, quanto à Educação, para que o poder público possa auxiliar da melhor forma”, diz Marcia Palma.

“O que temos que ter em mente é que, durante algum tempo, o cenário será esse. Vivemos um momento diferente em função da pandemia. A escola vai abrir, mas poderá fechar temporariamente ou suspender as aulas presenciais de uma turma ou turno caso seja registrado algum caso. Isso é uma medida preventiva. O importante é que as medidas de prevenção tenham continuidade para que possamos evitar a contaminação”, completou.

Retorno presencial nas escolas municipais: a partir de 24 de agosto com escalonamento

O atendimento do 2º semestre da rede municipal de Educação foi retomado no dia 3 de agosto no formato remoto, com suporte através da plataforma Educa em Casa e interação com professores de acordo com a orientação da equipe gestora. Já o ensino híbrido – remoto e presencial – deverá ter início em 24 de agosto, de forma escalonada, ou seja, separado por fases e com espaçamento de datas, com respeito aos protocolos sanitários: distanciamento mínimo de 1 metro, uso de EPIs e máscaras, e com as escolas que retornarão nesse primeiro momento, já liberadas pela Coordenação de Vigilância Sanitária graças ao Selo Escola Segura – ou seja, voltarão as instituições de ensino que já estão totalmente preparadas para o retorno, com todas as adequações já realizadas para garantir a segurança da comunidade escolar, assim como aconteceu com a rede articular e estadual.

Os pais e responsáveis continuam podendo optar por continuar com os crianças e jovens no ensino remoto, caso essa seja a escolha da família. O calendário com as datas e turmas que voltarão, bem como o espaçamento de tempo em que o retorno entre cada grupo vai ocorrer, será publicado pela Secretaria de Educação nessa semana, mas, é importante destacar que o retorno presencial será feito de forma escalonada, com horário reduzido. O primeiro grupo de alunos iniciará o retorno presencial em 24 de agosto. Já o segundo retornará em 6 de setembro. O terceiro em 13 de setembro e o quarto em 20 de setembro. O calendário completo com as turmas já foi apresentado no Grupo de Trabalho que atuou na preparação do material do Plano de Retorno do Município e também ao Comed – Conselho Municipal de Educação.

Até o momento, 131 unidades escolares da rede municipal já estão com o selo Escola Segura. Segundo programação de visitas da comissão, até o início do ensino híbrido, todas as demais escolas da rede já terão sido visitadas.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.