Foto: Divulgação/ASCOM

Prefeitura de Petrópolis oferece atendimento para mulheres em situação de rua

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Casa da Cidadania recebeu nesta segunda-feira (26) uma ação social voltada para mulheres em situação de rua. Coleta de exames preventivo, informações sobre métodos contraceptivos, marcação de mamografias, serviços de cabeleireiro e manicure foram algumas das atividades disponibilizadas em uma parceria das Secretárias de Saúde e Assistência Social, com apoio do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM).

Foram atendidas cerca de 20 mulheres na ação que também contou com a parceria do Consultório na Rua. “Já tínhamos uma lista de mulheres que seriam atendidas. Realizamos busca ativa e encaminhamos para a Casa da Cidadania para oferecer os atendimentos de resgate ao autocuidado dessas mulheres”, é o que explica Márcia Medrado, coordenadora do Consultório na Rua.

Além disso, no local foi iniciado o mapeamento da população para o acompanhamento, voltada a parte sexual e reprodutiva. Também houve roda de conversa com temas relacionados a violência contra a mulher. A ação contou com a parceria de um grupo de cabelereiros e manicure, e da participação das equipes do Centro Pop, UNAT e do NIS.

A coordenadora do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (CRAM), Ana Luiza Franco, ressalta a necessidade do atendimento desse público: “Muito importante uma ação que envolva as mulheres em situação de rua. Atendemos várias delas no CRAM, mas existe uma grande dificuldade de seguir um acompanhamento até o fim do processo, uma vez que a falta de residência fixa e a alta mobilidade, fazem com que muitas vezes elas não retornem ao atendimento e não sejam intimadas das audiências. Precisamos mostrar seus direitos, deixando claro que a lei é para todas”.

A assistente social, Olivia Leal, fala sobre os riscos que essas mulheres correm na rua: “Uma mulher em situação de rua já está em risco social. Uma mulher que sofre violência, precisa de uma ação integral da rede e todo acolhimento possível”.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.