© Fernando Frazão/Agência Brasil

Prefeitura de Petrópolis acompanha vistorias e demarcações de áreas atingidas pelas chuvas

Ao todo, foram registradas 4579 ocorrências principalmente nas regiões do primeiro distrito.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Mais de três mil vistorias, nas 42 localidades mapeadas até o momento no município, estão em andamento pelas equipes da Defesa Civil. Engenheiros, geólogos e técnicos seguem ao longo deste sábado (5), atuando para concluir os laudos das áreas afetadas pela chuva do dia 15 de fevereiro. Até o momento, mais de 700 vistorias estão finalizadas. Ao todo, foram registradas 4579 ocorrências principalmente nas regiões do primeiro distrito. A maioria dos casos foi por deslizamentos. O Governo Municipal segue com o reforço do efetivo para garantir o suporte nas ações de recuperação da cidade, atendimento a pessoas afetadas e nas atividades de Defesa Civil.

No momento, o órgão também atua no apoio ao Corpo de Bombeiros, que ainda trabalha nas buscas de quatro desaparecidos nas localidades do Morro da Oficina e ao longo do Rio Quitandinha. De acordo com a equipe Técnica e Científica da Polícia Civil, o município registra 233 óbitos, sendo 138 mulheres e 95 homens, entre os quais 44 são menores.

1002 pessoas recebem o atendimento da Assistência Social

A Secretaria de Assistência Social segue no atendimento às pessoas que tiveram que sair de suas casas por conta de danos diretos aos imóveis ou nas regiões do entorno. No momento, 1002 pessoas estão em pontos de abrigamento, que foram estruturados nas escolas públicas ou de forma voluntária em associações, ONGs e entidades pelas comunidades.

Nos locais de acolhimento, as famílias recebem suporte para as necessidades essenciais, além de atendimentos de assistência social, saúde, psicólogos e recreação para as crianças. A Prefeitura faz todo o acompanhamento das famílias até que consigam novas acomodações, seja já nos novos lares, por meio do benefício do aluguel social, ou em casa de familiares. As pessoas que optam por sair dos abrigos para o acolhimento em casa de parentes, continuam tendo todo o suporte do Governo Municipal até que consigam uma nova casa.

Todas as pessoas atendidas em abrigos temporários estão sendo cadastradas para o aluguel social, no valor de R$ 1 mil e já estão sendo direcionadas para os novos lares, de acordo com a disponibilidade dos imóveis.

No momento, 25 locais são usados como pontos de abrigo temporário

Escolas públicas: E. E. Rui Barbosa, Paróquia de Santo Antônio, Cei Chiquinha Rolla, Comac – Escola Germano Valente, Escola Comunidade Santo Antônio, E. M. Alto Independência, E. M. Duque de Caxias, E. M. Geraldo Ventura Dias, E. M. Joaquim Deister, E. M Maria Campos da Silva, E.M. Papa João Paulo II, E. M. Rubens de Castro Bomtempo, E. Paroquial Bom Jesus, E. São João Batista, E. M. Nossa Senhora da Glória e E. P. Carlos Demiá.

E ainda os pontos voluntários: Igreja Metodista Wesleyana, Quadra do Palmeiras – Igreja Catedral de Avivamento da Geração Forte, Igreja Videira, Quadra do Oswaldo Cruz, Associação de Moradores Vila São José, Igreja Assembleia de Deus Ministério Nação, Igreja Wesleyana – Caxambu, Igreja Católica Floresta e Igreja Batista Alto da Serra.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.