Respeitando o resultado do plebiscito em que a população petropolitana decidiu pelo fim da tração animal nas charretes, a prefeitura criou um grupo de trabalho para discutir a situação dos charreteiros. Nesta quarta-feira (24.10), o prefeito Bernardo Rossi esteve reunido com representantes da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil, do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, protetores e ativistas da causa animal, além de membros do governo para tratar do assunto. O esforço coletivo existe para transformar a cidade em um modelo para o mundo, garantindo que os envolvidos na mudança da atração turística estejam satisfeitos.

Mesmo sem ter sido notificada pela Câmara Municipal do resultado do plebiscito – isso deve ocorrer após o término do segundo turno das eleições – a criação do grupo de trabalho mostra que a prefeitura quer apresentar uma solução rápida para o assunto, em respeito ao resultado das urnas. O próximo passo será a criação de uma proposta de manifestação de interesse em que os órgãos envolvidos na força tarefa devem apresentar projetos e soluções para o caso.

“É importante que a discussão seja aberta e que todos os envolvidos saiam satisfeitos, respeitando o resultado do plebiscito. A criação do grupo de trabalho é o primeiro passo para encontrarmos uma solução que atenda ao turismo, aos charreteiros e também a causa animal”, pontua o prefeito Bernardo Rossi.

A diretora-presidente do Fórum Animal, Elizabeth MacGregor, colocou o órgão à disposição para receber os cavalos das charretes. São 39 animais regulamentados no município exercendo a função. Todos eles são examinados quinzenalmente pelo veterinário da Coordenadoria de Bem-estar Animal (Cobea).

“Estamos há mais de 15 anos trabalhando para construir nova sociedade onde a compaixão pela vida animal seja um valor nacional, compartilhado por todos os brasileiros. Esse é um debate bastante amplo e que vai construir uma solução em conjunto. O Fórum Animal está disposto a receber os animais dos chaterreiros, dando todo o suporte e cuidado necessário para os cavalos”, disse Elizabeth.

O presidente da Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da OAB, Reynaldo Velloso, disse que o resultado do plebiscito mostra que a população está bastante atenta e preocupada com a causa animal. Ele elogiou a iniciativa da prefeitura em reunir os órgãos para encontrar uma solução em conjunto para o assunto.

“O prefeito Bernardo Rossi, ao receber todos os órgãos interessados no assunto, deu um exemplo para o Brasil abrindo o diálogo e criando uma comissão para discutir o assunto. Também é importante dizer que o prefeito se mostrou interessado em referendar a escolha da população que optou pelo fim da tração animal na cidade”, afirmou Reynaldo.

Também presente no encontro, o protetor e ativista da causa animal, Domingos Galante, destacou a iniciativa da prefeitura e ressaltou a importância de discutir o assunto para que todos os envolvidos sejam atendidos. “Essa reunião foi bastante importante, assim como a criação do grupo de trabalho. Com o apoio do Fórum Animal, vamos conseguir dar um destino aos animais, o que é o primeiro ponto. Também vamos discutir sobre outras questões importantes, como a empregabilidade dos charreteiros e o turismo”, comentou.

Participaram do encontro o vice-prefeito Baninho, os secretários de Meio Ambiente, Renato Couto, e da Turispetro, Marcelo Valente, a coordenadora de Bem-estar Animal, Elisabete Amorim, o coordenador de Relações Institucionais da Prefeitura, Roberto Júnior, o diretor técnico e operacional da CPTrans, Luciano Moreira, representantes da OAB de Petrópolis e ativistas da causa animal em Petrópolis.