A prefeitura conseguiu suspender R$ 15 milhões em multa para o município, com a homologação de um plano de ação que prevê assistência pediátrica de urgência e emergência no Hospital Municipal Nelson de Sá Earp e no Pronto Socorro Leônidas Sampaio. A decisão foi anunciada em audiência na Vara da Infância da juventude, nesta quarta-feira (28.02). O município terá até 1º de junho para implantar as salas de acolhimento nas duas unidades e um prazo de 180 dias para adquirir duas ambulâncias para transporte das crianças até as unidades de referências – Upas e Hospital Alcides Carneiro.

O titular da Vara da Infância e Juventude, Alexandre Teixeira, reitera que até que se finalize o processo de compra das ambulâncias, o SAMU deverá realizar o transporte de pacientes até às UPAs. O magistrado elogiou a gestão Bernardo Rossi que, após tomar conhecimento do processo que se arrasta desde 2011, montou um plano de ação que viabilizasse o atendimento das crianças em caso de urgência.

“Depois de cinco audiências conseguimos a homologação com um projeto viável. Agora o município terá até junho para implantar as salas de atendimento e iniciar a referência dos casos de urgência. Por hora a multa está suspensa e o município cumprindo essas exigências ela será revertida em definitivo. Quem ganha com isso tudo é a população que terá mais agilidade no atendimento dos casos de urgência e emergência das crianças”, avalia o juiz Alexandre Teixeira.

O município está regularizando uma situação herdada da gestão anterior que interrompeu o atendimento pediátrico do Hospital Municipal Nelson de Sá Earp (HMNSE) em 2011 e transferiu, em 2016, o atendimento de crianças do Pronto Socorro do Alto da Serra para as UPAs.

O prefeito Bernardo Rossi anuncia que uma das salas já está pronta, a do Hospital Municipal Nelson de Sá Earp e a do Pronto Socorro Leônidas Sampaio em fase de finalização. O processo de compra das ambulâncias será finalizado em até 180 dias.

“O novo fluxo vai propiciar maior agilidade na disponibilidade de ambulâncias, pois elas serão exclusivas para remoção das crianças até as UPAS. Nas salas do HMNSE e do Leônidas Sampaio as crianças receberão assistência integral da equipe de enfermagem especializada em pediatria. Buscamos junto à Defensoria e Ministério Público solucionar o mais rapidamente essa questão e garantir o atendimento das crianças em casos mais graves”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

O secretário de Saúde, Silmar Fortes, relembrou que como prioridade da gestão, reestruturou a base de atendimento do Samu na Posse para garantir a assistência na região.

“Nos casos das crianças atendidas nas UBS do Brejal e Posse que necessitarem de remoção, deverá ser acionada a ambulância permanente da Posse. E as crianças atendidas nas UBS de Pedro do Rio, Secretário e Vila Rica farão uso da ambulância permanente de Pedro do Rio que será direcionada para o atendimento. E em todos os casos de maior gravidade deverá ser acionada a ambulância avançada do Samu que tem as condições de transporte de pacientes em estado grave”, explica Silmar Fortes.

Pelo novo fluxo aprovado, as remoções de pacientes pediátricos oriundos das UBS – Unidades Básicas de Saúde – do 2º ao 5º distrito serão direcionadas à UPA Cascatinha. Já as provenientes do 1º distrito, Pronto Socorro Municipal Leônidas Sampaio e no Hospital Municipal Nelson Sá Earp (HMNSE), para a UPA Centro.