Tradição germânica, cerveja boa e de diversos estilos não vão faltar nesta edição da Festa do Colono Alemão. A 29ª Bauernfest, que começa no dia 22 de junho e vai até 1º de julho, vai contar com muita cerveja artesanal, principalmente no núcleo da festa, nos jardins do Palácio de Cristal. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (14.06), quando o prefeito Bernardo Rossi assinou a lei que regulamenta a autorização do espaço que fica no entorno do Palácio (intramuros), para que receba apenas empresas petropolitanas, que tenham produtos típicos culturais alemães, mantendo assim a tradição e as raízes germânicas.

Além de uma grande barraca, que será dividida entre as marcas de cerveja artesanal de Petrópolis e terá decoração especial, os cervejeiros locais também vão fornecer a bebida para as barracas de comidas típicas que ficam no espaço dentro das grades do atrativo. Para o prefeito, que assinou a lei durante um encontro com os produtores locais, esse será um marco para a festa.

“Petrópolis é a Capital Estadual da Cerveja. Precisamos incentivar ainda mais nossos produtos, o que temos de melhor. E estamos confiantes nesse novo modelo para a Bauernfest, apenas com produtores locais no núcleo da festa. É um modelo que tem tudo para dar certo e que podemos até levar para outras festas do município”, frisa. “Tenho certeza de que a festa será um sucesso. Estamos trabalhando para fazer a melhor Bauernfest dos últimos anos. E os cervejeiros e produtores locais vão fazer parte disso”, completa Marcelo Valente, secretário da Turispetro.

O projeto de lei foi aprovado nesta quarta-feira (23.06), na Câmara Municipal, por 12 votos favoráveis. Pela nova lei, apenas empresas petropolitanas poderão explorar o espaço dentro dos jardins do Palácio. Segundo o produtor de cerveja artesanal Rafael Plantz, a lei será fundamental para preservar a cultura da cidade. “Sou da colonização alemã, cervejeiro e tenho uma empresa em Petrópolis. Então luto pelas empresas petropolitanas. Achei a lei fantástica porque vai ajudar a preservar nossa cultura, nossos costumes”, disse.

Vocação da cidade, a produção de cerveja artesanal começou a crescer menos de 10 anos atrás e hoje já é referência no estado, com cervejarias e micro cervejeiros espalhados pelos quatro cantos de Petrópolis, além de feiras mensais de produtores artesanais e o título de Capital Estadual da Cerveja, recebido no ano passado. Para o presidente da Associação das Micro cervejarias de Petrópolis (AMP), José Renato Romão, os cervejeiros estão felizes com a ideia de participar da festa, e também com o fato dela oferecer várias marcas para o público.

“Ter outras marcas na festa é muito positivo. Hoje o público quer diversidade, quer ter o direito de escolher. E se a gente tiver isso através de produtos da cidade, o sucesso é ainda maior”, avalia.

Além de manter apenas empresas petropolitanas no espaço, a nova lei também prevê que uma das barracas e o moinho da festa sejam disponibilizados para organizações da sociedade civil voltadas ao atendimento de crianças e adolescentes indicadas pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança (CMDCA). A expectativa é de que a barraca lucre R$ 80 mil e o moinho R$ 300 mil para as instituições.