O prefeito Bernardo Rossi decretou o fim da tração animal nas charretes em Petrópolis. A determinação está sendo publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (29.03) e leva em consideração o resultado da consulta popular favorável pelo fim da atividade, assim como os avanços no cadastro das famílias dos charreteiros por parte da Secretaria de Assistência Social e o progresso nos estudos para a escolha do serviço de outra forma – sem a utilização dos animais – atendendo também ao turismo. A partir deste sábado, o serviço não poderá mais ser oferecido na cidade.

“Há um espaço grande de tempo entre a realização do plebiscito, a comunicação da Câmara de Vereadores e notificação do Executivo. Então, optamos pelo Decreto. Também levamos em conta trabalhos avançados para uma nova atividade e para resguardar os charreteiros”, afirma o prefeito Bernardo Rossi. Um grupo de trabalho estuda alternativas para os charreteiros e discute também as questões de bem-estar animal e de turismo. “Todos os segmentos serão contemplados”, destaca.

A Secretaria de Assistência Social cadastrou todas as 15 famílias – 48 pessoas – que fazem parte do grupo de charreteiros.Cada caso está sendo estudado individualmente para que sejam apresentadas soluções de empregabilidade de acordo com cada cenário. A prefeitura estuda maneiras de inclui-los na realização do serviço de outra forma, sem a utilização dos animais, garantindo emprego de cada um. 

“O grupo de trabalho da prefeitura está elaborando um relatório com as possibilidades de empregabilidade para os charreteiros. Também estamos estudando opções de treinamento e outros tipos de assistência possível para as famílias. Não vamos deixar os charreteiros desamparados”, explica Renato Couto, secretário de Meio Ambiente e relator do segmento Substituição das Charretes.

Em paralelo a isso, o grupo de trabalho criado pela prefeitura para acompanhar o assunto está avaliando projetos e busca soluções para atender também ao turismo. O termo de referência obrigatório para o edital de licitação para charretes elétricas está sendo elaborado. Outras maneiras de oferecer o serviço, sem a utilização dos animais, também estão sendo estudadas.

“Estamos trabalhando para criar um projeto que permita a continuidade da atividade, atendendo ao turismo, mas sem a tração animal. Precisamos explorar o potencial da nossa cidade da melhor maneira possível, respeitando o resultado e o desejo da população. A gente espera ter novidades em breve”, disse o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.