Agência Brasil

Preços de medicamentos, álcool gel e máscaras podem ser tabelados Vinicius Farah propõe controle de preços para medicamentos, EPIs e insumos na área de Saúde

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Cresce no Congresso Nacional a pressão, feita por deputados e senadores de diferentes partidos, para que o governo recorra ao tabelamento de preços para conter os abusos verificados desde o inicio da pandemia.  O deputado Vinicius Farah apresentou o PL 2465/20 para estabelecer o tabelamento de preços e a divulgação semanal dos valores máximos que podem ser cobrados por eles.

Alguns produtos, como o álcool gel e máscaras de proteção chegaram a subir 1.600% desde a decretação da pandemia mundial pela OMS, em 11 de março. Outros, como gás de cozinha, cujo preço médio era de R$ 65, passam R$ 100 em alguns estabelecimentos.

“O aumento nos preços dos medicamentos e insumos na área de Saúde está comprometendo a sobrevivência não apenas de cidadãos comuns, mas também hospitais. Uma máscara N-95, que era comprada pelas Santas Casas por 1,50, chegou a ser vendida a R$ 70. Isso afeta toda a cadeia de suprimento”, explica o deputado.

Ele lembra que a França, diante do aumento abusivo do preço de álcool gel, tabelou o preço do produto em todo o território nacional.

“Recebemos diversas mensagens e relatos de pessoas contando casos de superfaturamento de medicamentos nesse período de pandemia”, disse o deputado, que não descarta a adoção da medida em outros produtos, como gás de cozinha, além da área de Saúde. “Não estamos vivendo uma situação normal. Isso é uma guerra”, resume.

Crédito da foto: Agência Brasil

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.