Preços de alimentos sobem 0,35% em agosto

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O levantamento mensal de preços de alimentos no mercado varejista do município de São Paulo, realizado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), em agosto de 2018, mostrou um acréscimo de 0,35% no dispêndio familiar com alimentos em relação ao mês anterior. Os indicadores de produtos de origem animal e vegetal apresentaram trajetórias opostas no período: enquanto a variação no agrupamento animal foi negativa em 0,29%, os produtos de origem vegetal apresentaram acréscimo de 1% em agosto.

Nos produtos de origem animal, o subgrupo “carnes” apresentou variação positiva em 0,42%, com destaque para o acréscimo nos preços dos cortes bovinos. Nos lácteos, o destaque foi a queda do preço do leite longa vida após três meses de alta. Os ovos continuam em queda e, nesse mês, os preços estão em média 3,21% inferiores a julho, explica Vagner Azarias Martins, pesquisador do IEA.

Na parte vegetal, houve aumento no dispêndio de 1%, no período, apesar da redução significativa do subgrupo “hortaliças”, provocada pela queda de preços de produtos como a cebola (-18,86%), que está com boa oferta por causa da entrada da safra nacional. No agrupamento de “produtos básicos”, encontra-se a explicação do aumento do dispêndio com produtos vegetais: o pão francês, item de grande importância na cesta, teve aumento no seu preço médio em 5,74%, e a cotação ascendente do dólar está influenciando as importações da farinha de trigo e inflacionando os preços ao consumidor.

Nos últimos 12 meses, a variação percentual de 55 dos 88 itens acompanhados por este estudo oscilou entre +5% e -5%. Considerando-se que a inflação no período foi de 4,19%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), conclui-se que há estabilidade nos preços de boa parte dos produtos alimentícios.

Para ler o artigo na íntegra, consultar as tabelas e gráficos e obter mais informações sobre os produtos que apresentaram as maiores altas ou sofreram quedas significativas, no período, clique aqui.

Por: Nara Guimarães

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.