Preço da carne e do frango faz procura de ovo crescer nos supermercados

Associação de Supermercados do Rio registra aumento de 22% na venda de ovos.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O consumidor tem buscado opções mais baratas na hora de escolher a proteína da refeição. Segundo a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ), os supermercados fluminenses registraram um aumento de 22% na venda de ovos nos últimos 60 dias.


Com a inflação em alta, os consumidores têm feito contas na hora de fazer a lista do supermercado. Entre os produtos mais caros está a carne bovina, impactada por diversos fatores como a redução na quantidade de boi disponível para o abate, a demanda internacional aquecida e a chegada da entressafra em algumas regiões do país.


O frango, que seria uma opção para substituir a carne vermelha, também registrou aumento de preço. Segundo a ASSERJ, o preço subiu cerca de 5% nos últimos 30 dias.

Para o presidente da Associação, Fábio Queiróz, a carne, para grande parte da população, virou artigo de luxo no carrinho de compras. “Como não há previsão para o preço da carne bovina baixar, já estamos prevendo aumentos consecutivos na venda de ovos, que é um alimento mais prático de preparar e exige menos ingredientes”.


Em média, cada brasileiro come 251 ovos ao longo de um ano. É um volume recorde, alcançado em 2020, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O número supera a média mundial, que é de 230 ovos por pessoa, anualmente.


“Estamos numa boa fase de consumo de ovo. Os nossos associados sabem que é um item que não pode faltar na prateleira. Dependendo da rede, o consumidor consegue bons preços em dias de promoção, finaliza Fábio.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.