Nesta sexta-feira (12), baseados em denúncias repassadas pelo Linha Verde, policiais militares do Comando de Polícia Ambiental realizaram algumas ações com o objetivo de coibir e reprimir crimes ambientais no Estado.

Com o auxílio de uma das denúncias, agentes da Unidade de Policiamento Ambiental Três Picos encontraram na Estrada Estreito, no município de Cachoeiras de Macacu, um terreno de aproximadamente dois mil metros quadrados com indícios de desmatamento de vegetação nativa. O local, que faz parte de uma Área de Preservação Permanente às margens de um rio, tinha sinais claros de que o crime ambiental havia sido cometido com o objetivo de estabelecer um loteamento de casas, visto que havia placas sobre venda de lotes, mas, segundo os policiais, nenhum responsável pelo terreno foi encontrado no momento da fiscalização.

Já em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, agentes da 3ª UPAm (Desengano) foram checar a veracidade de outra denúncia do Linha Verde, a respeito de uma olaria. Em um estabelecimento localizado na Rodovia Souto Maior, no bairro Campo Limpo, após terem sido recebidos por um homem que estava no local, constataram a existência da fábrica de tijolos que operava de maneira irregular. O mesmo informou aos policiais que o dono do empreendimento não se encontrava, e, por desconhecer que seria necessário ter licenças ambientais pertinentes àquela atividade, foi encaminhado à 134ª DP, onde a ocorrência foi registrada de acordo com o Artigo 60 da Lei de Crimes Ambientais.

Importante ressaltar que qualquer crime ambiental no Estado do Rio de Janeiro pode ser denunciado através do Linha Verde, pelos telefones 2253 1177 (capital), 0300 253 1177 (interior, custo de ligação local) ou pelo aplicativo para celulares “Disque Denúncia RJ”, onde é possível enviar fotos e vídeos, sempre com a garantia do anonimato.

Fonte: Disque Denúncia RJ - DDRio