Foto: Divulgação

Polícia Civil prende despachante e funcionário terceirizado do Detran que participavam de esquema de fraude

Criminosos fraudavam transferências de veículos de locadoras sediadas no Aeroporto Internacional Tom Jobim - Galeão e zeravam pontos de carteiras de habilitação
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Policiais civis da Delegacia do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (DAIRJ) prenderam em flagrante, nesta quarta-feira (10), um homem que integra uma quadrilha acusada de fraudar transferências de veículos e de zerar pontos de carteiras de habilitação. Ele era um dos alvos da Operação Zero Ponto, deflagrada no início de fevereiro, quando foram presos em flagrante seis integrantes da organização criminosa.

No dia do cumprimento das buscas domiciliares, o homem não foi encontrado em casa e, intimado a depor, tentou ocultar seu aparelho de celular localizado posteriormente em um veículo de aplicativo. A partir do celular, ele foi localizado e preso em flagrante pelos crimes de associação criminosa, corrupção ativa, falsidade ideológica e falsidade de documento público. Os agentes colheram farto conteúdo de conversas e áudios, demonstrando o vínculo estável e permanente com funcionários públicos e terceirizados, e não é descartado que ele faça parte do núcleo da organização criminosa.

Com a prisão, os policiais da DAIRJ conseguiram interceptar correspondência do criminoso nos Correios de São Gonçalo, bem como correspondência no Estado do Pará, com o auxílio da Polícia Civil daquele estado. Nesse material, constava espelhos de identidade inidôneos e com fotografia de terceiros.

Após análise das conversas em aplicativos, policiais se dirigiram aos postos do Detran Hadock Lobo, na Tijuca, Zona Norte do Rio, e Tubiacanga, na Ilha do Governador, também na Zona Norte, a fim de localizar um funcionário terceirizado do Detran apontado pelo preso como seu contato nas fraudes.

Após a localização do funcionário, encontrado com documentação em seu poder, e diante das evidências na participação do esquema, ele também foi preso em flagrante pelos crimes de associação criminosa, corrupção passiva e advocacia administrativa.

OPERAÇÃO ZERO PONTO

No dia 1º de fevereiro, a DAIRJ deu início à Operação Zero Ponto, para desarticular uma quadrilha que atuava na transferência de pontos de CNH do real infrator da multa de trânsito para o nome de uma empresa ou para terceiros, sem o conhecimento destes. O grupo criminoso é considerado um dos maiores do país e, também, transferia veículos de forma fraudulenta. Seis pessoas foram presas, incluindo o chefe da organização. Os agentes também apreenderam processos administrativos referentes às fraudes para identificar outros envolvidos na prática criminosa.

A ação teve apoio da Corregedoria do Detran. Os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em casas e órgãos de trânsito da capital, em São Gonçalo e em Nova Friburgo, na Região Serrana. Segundo os agentes, apenas uma das pessoas investigadas transferiu quase 3 mil multas para seu nome, totalizando mais de 15 mil infrações diversas como real infratora. Após a transferência, ela entrava com recurso para receber o dinheiro de volta. No entanto, os agentes descobriram que a mulher não possuía CNH e, desta forma, não podia ser a real infratora em multas aplicadas quase que diariamente e em horários diversos.

A investigação começou em julho de 2020, quando uma empresa de locação de veículos comunicou a não devolução de um automóvel. O carro havia sido transferido de maneira fraudulenta para uma pessoa sem autorização dela. Ao ser intimada para depor, a vítima alegou desconhecer o fato e afirmou que várias infrações de trânsito haviam sido anotadas irregularmente em seu nome.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.