O chefe de Polícia Civil do Rio, delegado Rivaldo Barbosa, participou, nessa terça-feira (03/04), no auditório da Acadepol, no Centro, da cerimônia de abertura do Curso de Capacitação e Treinamento para Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro. “Esse curso teve uma procura enorme, mostrando a importância do tema e o prestígio enorme da Polícia Civil do Rio em sediar um curso como esse. Isso, por si só, é um elemento muito importante no contexto da corrupção, lavagem de dinheiro e crime organizado”, ressaltou o delegado.

De acordo com o chefe de Polícia Civil do Rio, mais de 100 pessoas se inscreveram esse ano, “a procura dessa vez foi quatro vezes maior. Por isso já solicitei que a gente faça em breve outro curso, para que possamos capacitar mais agentes”, declarou. O delegado Rivaldo Barbosa destacou, ainda, a importância da integração entres as instituições envolvidas no tema abordado. “Não devemos falar que uma instituição, somente, vai resolver esses problemas. A integração entre as instituições é que gera essa onda positiva, para que possamos atingir, ainda mais, outras pessoas”, frisou.

Também estiveram presentes na solenidade de abertura do Curso de Capacitação e Treinamento para Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro, na Acadepol, dentre outras autoridades, alunos e convidados, o subchefe operacional da PCERJ, delegado Gilberto Ribeiro; a coordenadora da Coordenadoria de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro da PCERJ, delegada Patrícia Alemany; a diretora da Academia de Polícia Sylvio Terra (Acadepol), delegada Nadia Sad Abrahão; a subchefe de Polícia Administrativa, Gisele de Lima Pereira e o diretor do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública (DRCIMJ), delegado da Polícia Federal, Luiz Roberto de Godoy.

Durante seu discurso no auditório lotado da Acadepol, o chefe de Polícia, delegado Rivaldo Barbosa, declarou que a Polícia Civil do Rio praticamente prendeu todo e qualquer traficante nos últimos anos que se apresentou como líder de uma facção criminosa qualquer. “A Polícia Civil prendeu, nos últimos anos, todas as lideranças do crime de milícia. Mas esse curso é, de fato, uma oportunidade enorme para que façamos uma reavaliação de tudo que estamos fazendo. Não adianta prender somente o traficante. É importante prender, mas é importante também avançar na qualificação dessas investigações”, destacou.

Fonte: Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro

Crédito da foto: Paulo Toscano / Ascom PCERJ