Reprodução de video

PM lança o aplicativo Linha Direta para comunicação de situações de emergência Cidadãos poderão informar situações de risco à polícia pelo celular; amigos, parentes e vizinhos serão cadastrados pelos usuários para também receber pedidos de socorro

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Entrou em funcionamento, em caráter experimental, uma ferramenta inovadora para a segurança da população: o aplicativo Linha Direta, que vai estabelecer mais um canal de contato do cidadão com a Polícia Militar do Estado do Rio. Pelo app, bastará que, em qualquer situação de emergência, o morador cadastrado aperte um botão e grave um áudio de até 15 segundos narrando o problema. A PM será notificada através do 190 para prestar socorro imediato.

O Linha Direta vai entrar em funcionamento, inicialmente, nas áreas do 15.o BPM (Caxias) e do 41.o BPM (Irajá), mas a previsão é que seja expandido. A grande inovação é que, ao se cadastrar, o usuário poderá indicar amigos, parentes e vizinhos para que também possam receber a comunicação de emergência e prestar o primeiro socorro.

O aplicativo está disponível para Android e iOS, e os usuários poderão baixá-lo gratuitamente. Leonardo Gandelman, responsável pela criação do app, disse que, para segurança do cidadão, o aplicativo fecha de forma automática no telefone celular imediatamente depois de enviar a mensagem de perigo, sem deixar rastros, evitando que o agressor descubra o chamado.

Para usar o app, o usuário precisa cadastrar o endereço de sua moradia ou local de trabalho, o que reduz os trotes a quase zero, uma vez que a PM pode rastrear o telefone pelo qual foi feita a comunicação.

Como os vizinhos e parentes também recebem o pedido de ajuda, o tempo médio de atendimento das ocorrências caiu, nos testes já realizados, de 14 minutos para 45 segundos, o que muitas vezes pode evitar um crime. No app, o cidadão pode indicar se vai notificar a PM ou apenas as pessoas próximas. Em média, 70% das comunicações foram feitas para pessoas conhecidas e não para o 190.

 

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.