Crédito: Ed Alves/CB/DA Press

Planeta teve 2º novembro mais quente da história em 2020

As variações de temperatura mais notáveis ​​foram sentidas em partes contíguas dos EUA, norte da Europa, norte da Rússia, Austrália, centro e sul da América do Sul, Oceano Pacífico Norte e Mar de Bering.

O planeta se superou no mês passado, já que novembro de 2020 ficou em segundo lugar na história, ultrapassando novembro de 2019 para o segundo lugar. Além disso, o ano até o momento (janeiro a novembro) e a temporada de três meses (setembro a novembro) ficaram em segundo e terceiro lugares mais quentes, respectivamente, de acordo com os cientistas dos Centros Nacionais de Informação Ambiental da NOAA.

O calor excepcional também fez com que a cobertura de gelo do mar Ártico derretesse para a segunda menor cobertura registrada em novembro. Confira mais sobre o último relatório climático global mensal da NOAA:

Clima pelos números – Novembro de 2020

A temperatura média global da terra e da superfície do oceano em novembro de 2020 foi de 1,75 graus F (0,97 de grau C) acima da média do século XX. Esta é a segunda maior temperatura registrada em novembro – um pouco abaixo da de novembro de 2015 – e excede a agora terceira maior temperatura média observada em novembro de 2019.

O Hemisfério Norte teve seu novembro mais quente já registrado, com o Hemisfério Sul tendo seu nono mais quente. As variações de temperatura mais notáveis ​​foram sentidas em partes contíguas dos EUA, norte da Europa, norte da Rússia, Austrália, centro e sul da América do Sul, Oceano Pacífico Norte e Mar de Bering. Os dez membros de novembro mais quentes do mundo aconteceram desde 2004, com cinco deles ocorrendo recentemente, em 2013.

Temperatura Global

A temperatura global da terra e do oceano no ano até o momento (até novembro) foi 1,80 graus F (1,00 grau C) acima da média do século 20, tornando-se o segundo ano mais quente no recorde de 141 anos – apenas 0,02 de a grau F (0,01 de grau C) mais frio do que o mesmo período em 2016.

A estação – outono meteorológico ou primavera , dependendo do hemisfério – viu uma temperatura média global combinada da terra e do oceano de 1,64 graus F (0,91 de um grau C) acima da média de 57,1 graus F (14 graus C). Este período de três meses foi classificado como o terceiro mais quente já registrado, atrás das temporadas de 2015 e 2019.

De acordo com uma análise estatística feito por cientistas do NCEI, é muito provável que 2020 esteja entre os três anos mais quentes já registrados.

Outros eventos climáticos notáveis ​​neste relatório

A cobertura de gelo do mar Ártico quase recuou: a cobertura de gelo do mar Ártico no mês passado foi de 16,0% abaixo da média de 1981-2010, a segunda menor extensão de novembro registrada, atrás de 2016.

O outono teve um calor extraordinário: este foi o segundo outono mais quente para o Hemisfério Norte já registrado, atrás do outono de 2015 por apenas 0,02 de grau F (0,01 de grau C). Enquanto isso, a Europa viu seu outono mais quente da história.

Um calor sem precedentes envolveu metade do mundo: os primeiros 11 meses de 2020 foram os mais quentes já registrados no Hemisfério Norte, superando o recorde anterior estabelecido em 2016 em 0,09 de grau F (0,05 de grau C).

O hemisfério sul teve seu quinto ano mais quente já registrado.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também