Como melhorar a qualidade de vida do seu pet.

Pets – Cuidados com calor, praias e piscinas no verão

As altas temperaturas chegaram e com elas é preciso alertar sobre os perigos que cercam os animais domésticos no verão. O calor excessivo pode causar hipertermia. O problema costuma levar muitos animais a óbito nesta época do ano.

As altas temperaturas chegaram e com elas é preciso alertar sobre os perigos que cercam os animais domésticos no verão. O calor excessivo pode causar hipertermia. O problema costuma levar muitos animais a óbito nesta época do ano. A médica veterinária Laura Granato alerta principalmente às pessoas que deixam ou esquecem os pets em carros fechados para uma rápida saidinha, o que se transforma em algo grave e perigoso. A situação pode ser considerada, inclusive, maus-tratos e crime. Entretanto, mesmo que o animal não seja mantido em situação extrema, a possibilidade de superaquecimento do organismo do peludo deve preocupar tutores.

“A hipertermia é o aumento da temperatura corporal do cachorro e pode levá-lo à morte. Como prevenção recomendamos alguns passos básicos como não utilizar roupinhas nos pets, deixar vários potes de água sempre fresca pela casa e nunca passear com os animais nos horários de pico do sol, ou seja, das 10h às 16h, por exemplo, porque pode causar ferimentos nas patas dos animais devido ao solo muito quente. Mesmo fora deste horário, é preciso verificar a temperatura do chão antes de sair com o peludo”, antecipa.

O cuidado deve ser redobrado em raças também conhecidas como braquicefálicas, que são os cães com focinho achatado, como pug, buldogue francês e inglês, dogue de bordeaux, shitzu e boxer. Em caso de animais de pelo médio e longo, a preocupação é mantê-los bem tosados durante todo o período. “Ao passear, leve um cantil pet para oferecer água ao animal com frequência”, complementa.

Para animais brancos, a preocupação é com o câncer de pele. Sejam cães albinos (sem melanina, com focinhos e olhos rosados) ou não albinos (com melanina, com nariz e olhos escuros), é importante o uso de protetor solar. Os raios ultravioleta da radiação solar são altamente danosos ao DNA da camada mais superficial da pele de animais muito claros. O carcinoma espinocelular é um câncer maligno, um dos mais frequentes nos gatos e o segundo mais frequente em cães, depois do mastocitoma (nódulo com aparência de caroço).

No verão, idas às praias, piscinas e cachoeiras podem ser inevitáveis. Caso o tutor queira levar o cachorro de estimação, é importante verificar se o destino é pet friendly, ou seja, se aceita animais. Não esqueça de fazer um check-up clínico veterinário antes do passeio. Além disso, é importante que o animal use coleira com identificação e que as sujeiras do bichinho sejam recolhidas.

“É preciso ter cuidado com afogamentos. Nem todo cachorro sabe nadar. O cachorro deve entrar dentro da água sob supervisão. Na praia tem areia que pode machucar os olhos dos animais. Existem boias e coletinhos salva-vidas que são ótima opção para cães, principalmente para buldogues que não nadam bem. Eu já tive paciente buldogue que infelizmente morreu afogado. Também é importante no retorno da praia e piscina, enxaguar o bichinho e tirar água salgada e cloro, que podem provocar alergia”, salienta.

O calor facilita também a proliferação de pulgas e carrapatos, que além de provocar desconforto no animal, transmitem doenças que podem levar os animais à morte. Por isso, é fundamental que cães e gatos estejam com os antiparasitários em dia. Os medicamentos podem ser encontrados em forma de comprimidos mastigáveis, pipetas e até coleiras. Cabendo a cada proprietário escolher a apresentação mais adequada, de acordo com a durabilidade e preço.

Para facilitar a vida de muitos tutores, o mercado veterinário tem uma série de novidades que pode deixar o dia a dia do animal bem mais fácil ao longo da estação. “Existem tapetes gelados, bebedouros com suporte de gel e brinquedos que comportam água filtrada que podem ser deixados no congelador por algumas horas, mantendo a água fresquinha para o animal por bastante tempo. Além disso, também existem coletes refrescantes para vestir no bichinho”, garante a proprietária da Pet Shop Amigo Bicho, Mariana Davies.

De acordo com a nutróloga veterinária Jéssica Gamberoni, também é possível amenizar o sofrimento dos animais nesta época por meio da alimentação, aliando nutrientes saudáveis a receitas geladinhas para cães e gatos. Confira algumas delas!

Sorvete de banana e morango
Congelar pedacinhos de banana (sem casca) e morango. Quando estiverem congelados, bater os dois no liquidificador, no modo pulsar, bem devagar, até adquirir uma consistência semelhante a de um sorvete.

Picolé de melancia
Corte cubos de melancia sem casca e sem sementes. Bater no liquidificador com um pouquinho de água filtrada. Colocar em forminhas e congelar.

Cubinhos de coco com kiwi
Corte pequenos pedaços de kiwi sem casca, arrume em forminhas de gelo, e preencha com água de coco e congele.

FONTE E FOTO: Assessoria Clinica Amigo Bicho

Fonte: Assessoria Clínica Amigo Bicho

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também