Pint of Science une ciência e cerveja e acontece entre os dias 20 e 22 de maio

Pint, traduzido do inglês, significa “uma pitada”, “um pouco”. Popularmente, o termo foi relacionado à cerveja, sendo usado para descrever, em apenas uma palavra, aquele momento de descontração em que se consome a famosa bebida. Descontração aliada à informação é a fórmula do Pint of Science, que leva pesquisadores a bares e restaurantes, em um dos maiores eventos de divulgação científica do mundo, que ocorre em 24 países. Esse ano, chega pela primeira vez a Petrópolis, eleita a capital cervejeira do Rio de Janeiro.

Em 2019, o Pint of Science no Brasil se tornou o maior entre todos realizados no globo, com um total de 89 cidades brasileiras participantes. Para se ter uma noção do crescimento, em 2018 o evento ocorreu em 56 cidades e, em 2017, em 22. Ou seja, de 2017 a 2019 houve um crescimento de mais de 300%.

O Pint Petrópolis acontece entre os dias 20 e 22 de maio, entre 19h30 e
21h30, e conta com apoio das cervejarias Bohemia e Brewpoint, locais
que vão sediar as conversas.

Para participar dos encontros não é necessário fazer inscrição e é tudo gratuito. Basta escolher os assuntos mais interessantes e ir ao estabelecimento. A programação inclui Ansiedade, Sustentabilidade e as Empresas, Internet das Coisas e Cidades Inteligentes, Big Data e Mídia, Overtraining e Doenças da Estética, e até as Fake News da Terra Plana e da Anti Vacina, que promete ser um debate acalorado, contado com o Doutor em Astrofísica pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia e professor de Astronomia da UFRJ, Thiago Signorini, e umas das diretoras da Abrasco e Vice-diretora do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal Fluminense, Regina Flauzino.

Pint of Science 2019

“O mais importante é desmistificar a ciência e o cientista enquanto distantes da sociedade, gerando informação de qualidade para os cidadãos e demonstrando a centralidade da ciência em nosso cotidiano de forma leve, pois a ciência pode ser divertida”, comentou a coordenadora geral do Pint Petrópolis, Doutora Tamara Campos.

Um breve histórico do evento A ideia do Pint veio de dois pesquisadores do Imperial College London, que organizaram um evento chamado “Encontro com Pesquisadores”, em 2012.

Pessoas com Alzheimer, Parkinson, doenças neuromusculares e esclerose múltipla foram convidadas para conhecer os laboratórios dos cientistas. O encontro foi tão positivo que os pesquisadores compreenderam que se as pessoas podiam ir aos laboratórios, eles também deveriam ir a locais populares.

A primeira edição, em maio de 2013, já tinha a proposta de levar pesquisadores de universidades e institutos de pesquisa para conversar diretamente com as pessoas, de forma descontraída e mais informal. Os encontros acontecem de forma simultânea, em mais de um local, a fim de criar opções para o público, e a cerveja possui papel importante no festival.

Desde então, o Pint tomou proporção mundial. No Brasil, chega em 2015. Todo o trabalho é voluntário e não há fins lucrativos, pois a ideia é divulgar a ciência.