Reprodução da internet / Sitio do Moinho

Petrópolis é reconhecida Capital Estadual dos Produtos Orgânicos

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Uma história de 40 anos, que começou no Brejal, no distrito da Posse, em Petrópolis, ganhou o reconhecimento merecido. A cidade é oficialmente a Capital Estadual dos Produtos Orgânicos.

A lei 8118/18, sancionada pelo governador do estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, é de autoria do deputado estadual Luiz Martins, foi um pedido do então vereador de Petrópolis Jamil Sabrá.

A produção de orgânicos em Petrópolis começou em 1979, em um sítio em uma localidade chamada Cachoeirinha, no Brejal. E tudo partiu dos amigos Paulo Aguinaga e Iru Puertas. Paulo deixou a faculdade de agronomia para trabalhar em um sítio que pertencia a um alemão, em Nova Friburgo. “Ele veio pra Serra com essa ideia e eu achei muito interessante a possibilidade de produzir hortaliças sem o uso de agrotóxicos”, lembrou Paulo, diretor da Associação dos Produtores Rurais do Brejal. Depois de um tempo aprendendo, Paulo decidiu começar uma produção própria e foi quando se mudou para o Brejal e, junto com o amigo, começou uma pequena produção.

Paulo conta que ao mesmo tempo em que produzia os orgânicos na Serra, começava no Rio de Janeiro uma cooperativa de consumidores. A ideia de ter na mesa produtos sem agrotóxicos já atraia a atenção de pessoas na capital. “À medida que a gente produzia, já conseguia vender e isso foi imprescindível para que outros produtores se juntassem. E o mais legal disso tudo é que o interesse partiu primeiro das mulheres”, lembrou Paulo. Elas já tinham uma pequena horta em casa, para consumo próprio, e quando viram a possibilidade de ganhar um dinheirinho, começaram a mandar o que produziam para vender na Capital. Pouco tempo depois, a pequena horta se transformou em uma produção maior e elas também já estavam ganhando mais do que os maridos, que trabalhavam usando produtos químicos. “Vendo isso, eles se uniram e a produção de orgânicos cresceu, junto com a demanda por vegetais e hortaliças sem agrotóxicos”, disse Paulo.

Hoje, só em Petrópolis, são 92 produtores orgânicos cadastrados na base de dados do Ministério da Agricultura, o que representa 13% do total do estado do Rio de Janeiro. Quando vereador, Jamil Sabrá, atuou como representante do Compaf, o Conselho Municipal de Políticas Agrícolas e Fundiárias e pode entender a grandiosidade do trabalho feito no Brejal. “Eu acompanhei todas as reuniões e pude perceber a importância deste setor, não só para a cidade, mas para todo estado do Rio de Janeiro. Por isso, em novembro do ano passado, fiz o pedido ao deputado estadual Luiz Martins”, lembrou Jamil. O deputado estadual Luiz Martins é um defensor deste tipo de produção e atua há mais de 20 anos no segmento. “É um trabalho pioneiro no estado e que merece reconhecimento. Por isso, acolhi com muito prazer o pedido”, disse Luiz Martins.

O título de Capital Estadual dos Produtos Orgânicos foi muito comemorado pelos produtores que ajudaram a construir essa história e de tantos outros que conseguem sustentar as suas famílias apenas com a renda da produção. “O trabalho na roça é extremamente duro e cansativo, mas a recompensa maior é levar à mesa dos consumidores um produto livre de veneno”, comemorou Paulo.

Crédito da foto: Reprodução da internet / Sitio do Moinho

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.