Petrópolis é modelo na implantação do Programa Criança Feliz em todo o país

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Os resultados de cinco meses de implantação do Programa Criança Feliz foram apresentados nesta terça-feira (04.12), no Ministério do Desenvolvimento Social, em Brasília. O método utilizado para a implementação do programa em Petrópolis, conduzido pela Secretaria de Assistência Social, foi destacado e será modelo no próximo Encontro Nacional dos Municípios, previstos para o início de 2019. No relatório apresentado, foram ressaltados os trabalhos desenvolvidos nas 4.300 visitas, com as 400 famílias cadastradas.

O programa visa reduzir a desigualdade social e estimular o desenvolvimento de crianças de famílias cadastradas no Bolsa Família. Os dados positivos chamaram a atenção da Secretaria Nacional de Promoção e Desenvolvimento Humano e do Departamento de Atenção à Primeira Infância. “Essa é a comprovação de como a cidade está avançando nos programadas desenvolvidos. Muito gratificante constatar que nossa cidade será referência no Brasil”, ressalta do prefeito Bernardo Rossi.

A aplicação do programa se dá por meio de visitas feitas por assistentes sociais, que desenvolvem atividades que estimulam a memória, a fala, as habilidades de coordenação e o aprendizado. Conduzido pela Secretaria de Assistência Social, o foco está nas crianças que vivem em situação de risco ou vulnerabilidade social na primeira infância. “O nosso modelo de implantação do programa e os resultados foram muito bem avaliados. Entre os resultados efetivos do programa está a melhora do vínculo afetivo familiar. São resultados que parecem simples, mas para as pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social, são de grande valor”, ressalta a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

Um dos diferenciais do programa na cidade foi a forma em que os 23 profissionais foram preparados. A equipe recebeu capacitação que passou por noções de políticas de assistência social, saúde e educação. O método garante que os agentes consigam identificar as diferentes necessidades das famílias e efetuar o encaminhamento adequado na rede pública. O acompanhamento das crianças começa desde a gestação das mães, acompanhadas pela rede pública de saúde, incluídas no Bolsa Família ou que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). As gestantes recebem vistas mensais, crianças de 0 a 3 anos recebem visitas semanais e as com idade até 6 anos, quinzenais.

O Programa Criança Feliz é mais um canal que o município tem para identificar as famílias que vivem em vulnerabilidade: “o foco são as crianças, mas a partir dela os agentes também podem identificar outras situações de risco social. Muitas vezes as famílias não sabem quais caminhos para recorrerem aos serviços disponíveis e nossos agentes contribuem para que os encaminhamentos sejam feitos”, completa Denise.

 

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.