Foto: Wendel Fernandes

Petrópolis começa a se preparar para as chuvas de verão

Nesta semana, já foram registradas quedas de barreiras, de árvores e alagamentos em algumas vias. Com isso, a Defesa Civil de Petrópolis tem se planejado previamente para evitar ocorrências e futuros problemas.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Por conta de deslizamentos e, com a chegada do verão, uma antiga preocupação retorna aos petropolitanos: o período de chuvas. Nesta semana, já foram registradas quedas de barreiras, de árvores e alagamentos em algumas vias. Com isso, a Defesa Civil de Petrópolis tem se planejado previamente para evitar ocorrências e futuros problemas.

Para agilizar o atendimento, a Defesa Civil tem feito um trabalho integrado com outros órgãos da cidade, informou o Secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias Gil Kempers. “O Plano Verão é composto por série de protocolos de atuação para o período de intensificação da chuva, que pode acarretar ocorrências nas localidades de maior risco no município. A apresentação do Plano Verão 2022 está prevista para acontecer ainda este mês”, declarou.

Entre as medidas, foi incluído um sistema de alerta alternativo em locais que não há sirenes. Essa e outras medidas fazem parte do Plano Verão para 2022. “Outra iniciativa promovida em comunidade, que também faz parte do Plano Verão, é a implementação do Sistema de Alerta e Alarme para Escorregamentos em Comunidades, na comunidade do Floresta. O projeto prevê o preparo da comunidade para o acionamento de alertas, por meio de apitos, em momentos que precedem a chegada de chuva forte. O objetivo é garantir a mobilização e deslocamento da população de forma mais segura até os pontos de apoio, pré-estabelecidos na região”, concluiu o secretário.

As chuvas de 2011 ficaram marcadas, não só em Petrópolis, mas também em outras cidades da região serrana, como Teresópolis e Nova Friburgo.  Em períodos de tempestade é necessário ficar atento aos riscos de deslizamentos. “Identificar portas e janelas emperradas, presença de rachaduras em terreno e imóveis (chão ou paredes), sinais de escorregamento de terra e verificação de infiltração no terreno ou imóvel são indícios que devem ser verificados”, alertou Gil Kempers.

Em Petrópolis, são 13 sirenes espalhadas nos seguintes bairros: 24 de Maio, Alto da Serra, Bingen, Dr. Thouzet, Independência, Quitandinha, São Sebastião, Sargento Boening, Siméria e Vila Felipe. Na última semana, em decorrência das chuvas em Petrópolis, 25 ocorrências relacionadas a deslizamentos foram registradas, deixando 37 pessoas desalojadas. Além do Plano Verão, o CIMOP, Centro Integrado de Monitoramento de Petrópolis, tem atuado em conjunto para agilizar os atendimentos na cidade. O CIMOP conta com equipes da Defesa Civil, CPTrans, Guarda Civil, Samu e Polícia Militar com 56 câmeras espalhadas pelo município.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.