Petrobras alerta sobre os perigos da soltura de balões

Além de campanhas de conscientização contra a prática nesta época do ano, companhia investe permanentemente em estrutura de combate à emergência
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Petrobras lançou nessa última semana uma campanha nas redes sociais para prevenir a soltura de balões no município de Duque de Caxias (RJ), onde estão instaladas a Reduc e a Usina Termelétrica TermoRio. O objetivo é alertar a população para o perigo da soltura de balões e estimular o uso do 199, número da Defesa Civil, para o recebimento de denúncias anônimas e relatos de emergências. 

A inciativa é uma extensão da campanha publicitária em curso nas cidades paulistas de Mauá, Santo André, São José dos Campos e Cubatão, em regiões próximas às refinarias RPBC, Recap e Revap, em parceria com o Instituto São Paulo Contra a Violência, que coordena o Disque-Denúncia (181).

Fabricar, vender, transportar e soltar balões é crime. A pena para quem é flagrado pode chegar a três anos de prisão, além de multa. Com a campanha, a Petrobras, além de contribuir com os órgãos públicos para coibir esta prática, reforça o compromisso com a vida de seus trabalhadores e da população que reside nas proximidades de suas unidades.

Nesta época do ano os problemas crescem junto com o número de balões no espaço aéreo. Nos meses de junho, julho e agosto o ar fica mais seco, facilitando a propagação de incêndios, principalmente florestais. A queda de um balão pode ainda interromper o fornecimento de energia ao danificar linhas de transmissão, causar incêndios nas refinarias, em depósitos de combustíveis, em áreas urbanas e em polos petroquímicos, com consequências desastrosas para toda a sociedade.

A primeira campanha da Petrobras para prevenir a queda de balões em suas unidades foi realizada em 1998 em Duque de Caxias, quando foram registradas 72 quedas de balões na área da Reduc. Desde então o número de incidentes com balões vem diminuindo, chegando a zero em anos recentes na unidade.

Investimentos na estrutura de resposta à emergência da Reduc

Além de campanhas de conscientização, a Petrobras realiza investimentos constantes em equipamentos modernos e treinamentos intensivos, priorizando a segurança das pessoas, do meio ambiente e das instalações, em todas as suas operações. 

Para dar mais agilidade e autonomia no combate a emergências internas e próximas ao parque industrial da Petrobras, a Reduc recebeu em junho deste ano um novo caminhão do modelo Auto Bomba Químico (ABQ), adaptado e customizado com as melhores tecnologias para conter incêndios de grande porte.

A segurança em suas atividades é prioridade, mas a empresa também investe em treinamentos e equipamentos para poder agir rapidamente em caso de emergência. A aquisição, no valor aproximado de R$ 2 milhões, é parte da carteira de investimentos em Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS) na unidade, que contempla ainda a compra de três novas ambulâncias, além da criação de uma sala com materiais específicos para combate a incêndios, que reduzirá o tempo de resposta das equipes em situações de emergência.

Ao todo, a refinaria conta com cinco caminhões ABQ, um caminhão Auto Hidro Químico (AHQ), dois canhões monitores portáteis e um canhão rebocável de alta vazão, além de três ambulâncias do tipo UTI móvel. A Petrobras busca constantemente a excelência nas práticas de SMS em suas operações. Através de investimentos em tecnologias, treinamento de segurança, certificações internacionais e simulados frequentes, a companhia promove a segurança das pessoas, do meio ambiente e das suas instalações.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.