Ela tem orgulho de ser mulher e negra e de ter uma trajetória de 21 anos com o uniforme da Guarda Civil. Agora, Cláudia da Conceição vai entrar para a história da corporação como a primeira agente feminina a ocupar o posto de subcomandante. Ela será nomeada pelo prefeito Bernardo Rossi para substituir Alternir Mendes, no cargo desde o início de 2017 e que vai se aposentar.

“A Cláudia é uma pessoa querida na Guarda e que desenvolve um trabalho fundamental na Ronda Escolar, dando segurança para os 42 mil alunos da rede pública e cuidando também dos funcionários e das próprias escolas. A indicação não poderia ser melhor e representa mais um avanço da Guarda ao colocar uma mulher nesse posto”, diz o prefeito Bernardo Rossi.

A indicação do nome dela para o subcomando se deve à competência e capacidade de Cláudia no trabalho. Com 51 anos e dois filhos, ela tem especialização para atuar em casos de violência doméstica, exploração de violência de crianças e adolescentes, investigação de estupro, policiamento comunitário escolar e mediação comunitária, entre outras formações oferecidas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

Já passou por diversas funções com o uniforme da Guarda, desde telefonista, segurança de patrimônio, atuação nos terminais, em polos de moda e em unidades de saúde, apoio a Fiscalização de Posturas, rondas em pontos turísticos – ainda antes da criação da Ronda Turística – e atuação em pontos de apoio para atingidos pela chuva em 2013.

Há 10 anos ela é coordenadora da Ronda Escolar, que vem ampliando o número de visitas a unidades de ensino no município: em 2017, foram 1,2 mil visitas preventivas e para atendimento de ocorrências, o triplo em relação ao ano anterior. Esse ano, o número já está em 1,2 mil, por causa da expansão do serviço para os colégios que oferecem EJA no terceiro turno e por estar acompanhando também entradas das aulas pela manhã.

“Cada vez mais a Ronda Escolar vem sendo acreditada dentro da Guarda. Hoje tem mais estrutura e uma equipe grande para atender as escolas e fazer o acompanhamento dos alunos”, ressalta Cláudia.

Ainda assim, ela espera que o cargo que vai ocupar também ajude a incentivar outras mulheres a quererem fazer parte da corporação.

“Estar no subcomando é uma responsabilidade muito grande para servir de porta de entrada para outras mulheres na Guarda e isso me motiva ainda mais a fazer meu trabalho ainda melhor”, destaca. Atualmente, a corporação tem 12 mulheres, o que significa apenas cerca de 5% do efetivo.

 

O cargo de subcomandante

A principal função do subcomandante é assessorar o comandante e substituí-lo em caso de algum impedimento – por exemplo, representar a corporação em eventos oficiais em que o comandante não puder ir. Também é de sua atribuição as escalas de trabalho dos agentes e fazer relatórios mensais de atuação dos guardas. No último ano e meio, Alternir Mendes ficou responsável pelo posto. Prestes a se aposentar, ele ficou muito feliz de ver a amiga de infância chegar ao posto e classifica esse momento como uma “conquista” do grupamento feminino da Guarda.

“Eu sou suspeito para falar porque nós fomos criados juntos e, por sorte do destino, viemos a trabalhar juntos. Ela é uma pessoa íntegra, amiga, correta na conduta profissional, com um coração gigante e a preocupação com o próximo, sempre disposta a ajudar. Acho que a vinda dela para o subcomando vem somar muito e é um sinal de prestígio da Guarda com o grupamento feminino”, destaca Mendes.

A agente Adriana Vital está na Guarda o mesmo período de Cláudia e compartilha da opinião de que esse é um momento importante para as mulheres da corporação.

“É uma oportunidade de mostrar que o que começou há muito tempo, com a entrada de mulheres na Guarda, foi algo positivo e confirma a expectativa que sempre houve de que esse momento iria chegar. É uma forma de coroar a trajetória feminina na Guarda”, acredita.

A ida para o posto de subcomando não vai alterar o trabalho dela na Ronda Escolar. Ela vai acumular as duas funções, como determinado pela coordenação de Segurança.

“A escolha da Cláudia não foi difícil, ela desenvolve um excelente trabalho na Guarda desde que entrou para a corporação e é quase uma unanimidade dentro da corporação, isso também vai facilitar o trabalho no subcomando. E não iremos mudar nada com a Ronda Escolar, já que ela conhece bem esse serviço e vem contribuindo muito com a rede municipal, com palestras e acompanhando os alunos após alguma ocorrência”, diz o coordenador de Segurança, Maurício Borges.

A expectativa é que ela assuma o cargo ainda em julho, durante as comemorações do aniversário de 94 anos da corporação.

“Este será mais um presente para a Guarda, ter a oportunidade de colocar uma mulher em um posto de comando. É realmente muito importante o que a Guarda Civil de Petrópolis vai viver a partir de agora, abrindo ainda mais espaço para a participação feminina nas decisões da corporação. E não tenho dúvidas de que será um trabalho feito com a mesma competência de sempre”, afirma o comandante da Guarda Jeferson Calomeni.

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Crédito da foto: Divulgação / Ascom PMP