Foto: Enzo Gabriel/GIRO Serra

Passagem de ônibus em Petrópolis sobe para R$ 4,95 para pagamento em dinheiro

A decisão foi tomadana noite desta terça-feira (10).
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A tarifa de ônibus em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, vai subir para R$ 4,95. A decisão foi tomada após reunião entre o Conselho Municipal de Transportes (Comutran) e os representantes das empresas de ônibus do município, realizada nesta terça-feira (10).

O valor de R$ 4,95 será cobrado nos pagamentos realizados em dinheiro. Já no caso de pagamento com cartão de transporte, a passagem terá desconto e sairá por R$ 4,80.

De acordo com alguns negociadores, os empresários de empresas de ônibus exigiram que a tarifa fosse aumentada para R$ 7,58, mas, após a articulação, houve a redução para os valores acordados.

Mesmo diante da crise ocasionada pela pandemia de Covid-19, e também com as tragédias causadas pelas chuvas de 15 de fevereiro e 20 de março, o acordo foi comemorado pelos representantes que participaram da reunião. Segundo eles, houve vitória em conseguir negociar o valor abaixo do solicitado pelas empresas de transporte.

Durante as negociações, o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis (Setranspetro) informou que, “com base nas legislações e nos contratos, toda e qualquer tarifa de prestação de serviço público deve ser ajustada anualmente. Porém, o aumento da tarifa do transporte coletivo por ônibus não acontece há dois anos e oito meses em Petrópolis – sendo um dos poucos, senão, o único serviço, que até hoje não sofreu qualquer elevação de preço na cidade”.

“Diante do aumento do custo da operação, principalmente impulsionado pelo aumento de 80% no preço médio de distribuição do óleo diesel em Petrópolis e da obrigatoriedade contratual de se manter o equilíbrio econômico e financeiro, se fez necessária a revisão tarifária para propiciarmos o pleno funcionamento do sistema de transporte público da nossa cidade”, disse o diretor-presidente da CPTrans, Jamil Sabrá.

O sindicado justificou o pedido do ajuste na tarifa alegando o impacto causado pelo aumento do preço do óleo diesel, do pneu e do salário dos rodoviários. “Em contrapartida, neste mesmo período, o óleo diesel sofreu alta acumulada de 73,3%, pneus registraram aumento de 81%, salário dos rodoviários subiu 15%, benefício dos colaboradores apresentou aumento de 57,7%, entre outros”.

O Setranspetro informou ainda que houve queda na demanda de passageiros, o que tem causado um desequilíbrio contratual. “Além disso, a demanda de passageiros, que chegou a registrar queda de 75% nos períodos mais críticos da pandemia, não retomou ao cenário anterior à Covid. Ainda hoje, o sistema de transporte público por ônibus em Petrópolis segue com redução de mais de 26% do número de pessoas que andam de ônibus, resultando em completo desequilíbrio contratual”.

A CPTrans alertou que transporte público coletivo vive uma crise nas cidades grandes e médias de todo o país, aprofundada a cada ano. Há uma tendência de queda do número de passageiros nos ônibus municipais. Com isso, há cada vez menos pessoas “dividindo a conta” do sistema de transporte público, o que encarece a tarifa (já que o sistema é custeado apenas pelos passageiros pagantes).

Em relação à qualidade dos serviços prestados pelas empresas de ônibus, a CPTrans tomará medidas duras contra a Cascatinha, a Petro Ita e todas as empresas que apresentam deficiência na prestação do serviço.

“Essa é uma determinação do prefeito Rubens Bomtempo. A partir de agora, a Prefeitura não vai mais aceitar que o usuário do transporte público seja prejudicado do jeito que vem sendo nesses últimos anos”, disse Jamil Sabrá.

O texto segue agora para tramitação legal e a data para o reajuste entrar em vigor será definida após publicação no Diário Oficial do Município.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.