Páscoa: Veterinária alerta sobre o risco dos chocolates e aquisição de coelhos por impulso

Abandonar ou maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98. Além disso, a Lei Federal nº 14.064/20, sancionada em setembro, aumentou a pena de detenção que era de até um ano para até cinco anos para quem cometer este crime.

A Páscoa está chegando. Com ela, aumenta o risco do consumo de alimentos tóxicos por cães e gatos. A médica veterinária Laura Granato, da Clínica Amigo Bicho, alerta que não se deve dar chocolates e derivados no geral aos pets. Ele é tóxico para cães e gatos por conter muita gordura, cafeína e teobromina (estimulantes do sistema nervoso). “Dependendo do tipo de chocolate e da quantidade ingerida pode causar vômito, diarreia, hiperatividade, tremores musculares, respiração curta, ofegante, choque anafilático e até mesmo a morte do animal”, explica.

Outra preocupação desta época do ano é a aquisição por impulso de coelhos que são dados de presente para crianças. É importante lembrar que animais não são brinquedos. Animais silvestres são muito sensíveis e demandam cuidados especiais ao longo da vida, que dura entre seis e oito anos. “Sempre que alguém da família quiser trazer um novo animal para casa, é necessário conversar com os outros membros para evitar que após a empolgação, venha o abandono”, complementa.

Abandonar ou maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98. Além disso, a Lei Federal nº 14.064/20, sancionada em setembro, aumentou a pena de detenção que era de até um ano para até cinco anos para quem cometer este crime.

Se após muita reflexão, a decisão da família for pela inclusão de um coelho na casa, é preciso seguir algumas dicas. “É necessário adotar ração específica e uma dieta à base de feno de capim, castração a partir dos seis meses como prevenção de uma reprodução desenfreada, visitas regulares ao médico veterinário, além de acesso à luz natural e locais onde possam expressar comportamentos naturais”, orienta.

Os coelhos têm tendência a problemas respiratórios, de pele e digestivos, comuns devido a alteração brusca na dieta, do teor alto de açúcar dos alimentos oferecidos, ou a falta de exercício físico. Os idosos também estão propensos a problemas de coluna, fazendo com que tenham menos mobilidade nas patas e dor crônica; assim como podem desenvolver problemas cardíacos, do fígado e renais.

Fonte: Divulgação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também