O treinamento das brigadas operacionais que dão suporte ao 15° Grupamento de Bombeiro Militar de Petrópolis nos incêndios florestais foi um dos temas discutidos no encontro setorial entre os 58 órgãos que fazem parte do Plano Inverno municipal nesta quarta-feira (22.05).  A meta é preparar até 100 pessoas, entre agentes da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, militares do Exército e da Aeronáutica, além de Bombeiros Civis, para atuarem no combate ao fogo durante o período de estiagem. A capacitação das equipes será coordenada pelo Corpo Bombeiros e está marcada para o dia 3 de junho no 32° Batalhão de Infantaria Leve/Batalhão Dom Pedro II, na Vila Militar.

Serão realizadas duas etapas de treinamentos: pela manhã a parte teórica e a tarde o trabalho prático. As equipes terão que apagar até 12 pequenos focos de incêndios florestais em uma trilha, além de uma queimada de grandes proporções no final da atividade. “As instituições precisam estar organizadas e preparadas para atuar juntas em caso de uma grande ocorrência. O objetivo é sempre trabalhar em conjunto, prevenindo as principais ameaças de cada estação no nosso município”, frisa o prefeito Bernardo Rossi.

A capacitação faz parte das ações do eixo operacional do Plano Inverno municipal, que vai contar também com o sobrevoo de drone nas áreas propensas aos incêndios florestais; a Blitz Verde; operações de caráter educativo distribuindo panfletos sobre os problemas causados pelas queimadas; além da elaboração de trabalhos sobre educação ambiental dentro do Defesa Civil nas Escolas estão previstas na programação. “Estamos ampliando as ações para que os resultados sejam ainda melhores neste ano”, garante o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz.

Metodologia pioneira no país com relação as ameaças de inverno, o Plano Inverno municipal vem contribuindo na redução do número de casos de incêndios florestais: o 15° Grupamento de Bombeiro Militar (GBM) de Petrópolis registrou 302 queimadas em 2017, sendo 174 atendidas pelo Destacamento de Itaipava. No ano passado, foram 174 casos ao todo, com 78 desses acontecendo na região do terceiro distrito.

A grande preocupação da prefeitura é com os problemas causados pelos incêndios florestais. A queimada prejudica o solo, visto que elimina nutrientes fundamentais a qualquer cultura vegetativa, como o potássio e fósforo.  A prática da queimada é crime, com pena de reclusão, assim como a soltura de balões, outra prática muito comum neste período. Os malefícios são diversos, desde a poluição do ar até a destruição de nascentes de água”, disse o secretário de Meio Ambiente, Renato Couto.

“Esse o momento mais crítico relacionado aos incêndios florestais, com menos chuva e as temperaturas mais amenas. Precisamos estar atentos e atuando em conjunto para diminuir ainda mais os casos de incêndios florestais”, completa Paulo Renato.

O telefone da Secretaria de Meio Ambiente para denunciar os casos é o (24) 2233-8180. Ou ainda ligar para o Linha Verde, programa do Disque Denúncia do Rio de Janeiro exclusivo para recebimento de informações sobre crimes ambientais, através dos telefones 0300 253 1177 e (21) 2253-1177.