A Defesa Civil inicia na sexta-feira (20.04) a elaboração do Plano Inverno de Petrópolis 2018, que visa reduzir os casos de fogo em vegetação e organizar os órgãos de resposta em caso de ocorrências graves. Estão previstas ações em dois eixos: humanitário e operacional. O objetivo principal do projeto é reduzir o número de focos de incêndios florestais nas áreas mais sensíveis da cidade e estabelecer um plano de ação para agilizar a resposta às ocorrências. Participam da primeira reunião representantes da prefeitura, do Ministério Público Estadual e Federal, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e de órgãos ambientais. O encontro acontece na Sala de Cooperação da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias às 10h30.

Dados do 15° Grupamento de Bombeiro Militar de Petrópolis mostram a eficácia do trabalho preventivo realizado pela prefeitura desde o ano passado: em 2017 foram 126 casos de fogo em vegetação, contra 150 do ano anterior. O município também ganhou o reconhecimento da Organização das Nações Unidas (ONU) por conta das ações antecipadas aos desastres de origem natural.

“Graças ao trabalho realizado no Plano Inverno, Petrópolis ganhou o prêmio de cidade resiliente em agosto do ano passado, oferecido pela ONU. Além disso, Petrópolis foi uma das duas cidades do Estado do Rio de Janeiro indicadas pela ONU como município com potencial de se transformar em modelo mundial para redução de riscos de desastres, ao lado de Niterói. O trabalho de prevenção aos desastres é de longo prazo, mas já estamos colhendo frutos importantes. O reconhecimento de um órgão internacional mostra que estamos no caminho certo”, pontua o prefeito Bernardo Rossi.

O Plano Inverno 2017 de Petrópolis reuniu 216 pessoas de 42 instituições diferentes na elaboração de dois planos de contingência com ações de resposta para os incêndios florestais e estiagem. Além do trabalho operacional, estão previstas ações em conjunto com a Secretaria de Assistência Social dentro do eixo humanitário.

“Desde o início da nossa gestão, organizamos cinco campanhas humanitárias e estamos empenhados em aumentar esse número até o fim do ano”, disse o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, anunciando que a campanha de recolhimento de agasalhos da Defesa Civil começa no dia 1º de junho. “Entregamos mais de 2.300 peças no ano passado. Nossa ideia é chegar a três mil até o final da campanha, no dia 6 de julho”, prevê.

Neste ano será realizado um calendário de ações em conjunto com órgãos ambientais nas áreas de maior índice de incêndios florestais do município, dentro do eixo operacional do Plano Inverno de Petrópolis 2018. O trabalho dos agentes vai contar com o apoio de dois drones que a prefeitura recebeu em janeirodo Ministério Público Estadual (MPE).

“Uma das novidades para esse ano será o calendário, com ações em conjunto com outros setores da prefeitura e órgãos ambientais nas áreas de maior índice de incêndios florestais. Vamos trabalhar de forma antecipada e organizada, buscando a redução do número de casos”, explica Paulo Renato.

Assim como no ano passado, acontecem reuniões setoriais entre os órgãos envolvidos para a elaboração de planos de contingência com ações de resposta para os incêndios florestais e estiagem. Também serão elaboradoras matrizes de atividades e responsabilidades.“A escassez de água já atinge as grandes cidades do país. As queimadas dos últimos anos atingiram áreas de nascentes na nossa cidade. Precisamos preservar esses locais para que a população não sofra no futuro”, completa o secretário.

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Crédito da foto: Divulgação / Ascom PMP