A Secretaria de Assistência Social tem registrado, em média, 15 acolhimentos realizados pela Operação Inverno. O objetivo da Operação é intensificar as abordagens sociais para promover o acolhimento emergencial de pessoas em situação de rua. A parceria com a Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias permitiu a instalação de três barracas, que possibilita o acolhimento de mais pessoas no Núcleo de Inclusão Social (NIS), que já pode receber, diariamente, até 54 pessoas.

“É uma ação conjunta entre as secretarias de Assistência Social e de Defesa Civil que vai possibilitar o atendimento de dezenas de pessoas. Este é um período em que devemos dar total atenção, principalmente, a esta população. A ideia é intensificar o trabalho que já é feito pela Assistência ao longo do ano, realizando abordagens à noite e dar este apoio a quem precisa”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.

Para ampliar o atendimento a estas pessoas, foram instaladas três barracas cedidas pela Defesa Civil, que, juntas, permitem o acolhimento de até mais 18 pessoas. A Assistência intensificou, também, a abordagem das equipes à noite, quando o frio é mais intenso.

“A Secretaria de Assistência Social faz de forma constante a abordagem à população em situação de rua, em diferentes pontos da cidade. Este trabalho é realizado por equipes, geralmente um educador e um técnico, todos os dias da semana, em horários diversos. A equipe oferece apoio para quem aceita ir para o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) ou para pernoite no Núcleo de Integração Social (NIS). Em 2017 houve grande adesão por parte dos usuários, por isso a necessidade de continuar esse acolhimento emergencial ”, explica a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

No Centro Pop, os usuários podem tomar banho, se alimentar e passar o dia. De acordo com a situação de cada pessoa, ela pode ser encaminhada para o Núcleo de Integração Social (NIS) onde passará por todo um processo de ressocialização, recebendo tratamento médico e psicossocial. “O objetivo da Assistência Social é dar a oportunidade para que possam conseguir um emprego ou retornar para as suas cidades de origem”, completou a Denise.

“Os registros do Centro Pop, apontam para uma média de 102 adultos em situação de rua. Cerca de 90% são homens. Em média, 48 usuários são migrantes – vindos de outras localidades. Todos que se dirigem ao equipamento recebem atendimento sem agendamento. O trabalho realizado visa a reinserção dos usuários às famílias e, quando não é possível, o objetivo é desenvolver sua autonomia. Ainda há muita resistência por parte dos moradores em aceitar ir para o abrigo, mas nossa intenção é atender todos os que necessitarem e quiserem o apoio”, reforçou a diretora do Departamento de Proteção Social Especial da Secretaria de Assistência Social, Katia dos Prazeres.

C.P., de 50 anos, é um dos acolhidos pelo núcleo e conta que os dias de frio são os piores momentos para quem vive nesta situação. “Tive problemas com bebidas, que me fizeram me afastar da minha família. Não tenho contato com meus dois filhos. Tudo por causa da bebida. Nas noites de frio, buscava ficar mais confortável com a própria bebida, mas o efeito passava durante a madrugada. Aí, o frio voltava com tudo e quase não dava para aguentar. Ver o trabalho que está sendo feito aqui é de se admirar”, disse.