A Receita Federal do Brasil, em parceria com a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Controladoria Geral da União, participa da Operação 14 Bis, deflagrada na manhã desta terça-feira (13/03), com o objetivo de combater fraudes em licitações da Universidade Tecnológica Federal do Paraná em Cornélio Procópio, ocorridas na gestão de ex-dirigentes daquela instituição.

As investigações apontaram indícios de obtenção de informação privilegiada em pregões, formação de grupo econômico, uso de documento potencialmente falso ou insuficiente para atestar a capacidade técnica para execução de serviços, pagamentos superiores aos valores contratados, superfaturamento e sobrepreço em serviços contratados, dentre outros.

Foi detectado também o uso de diversas pessoas como “laranjas” nos quadros sociais das empresas prestadoras de serviço para a Universidade, com o intuito de ocultar os seus reais proprietários.

Foram identificados, ainda, indícios de enriquecimento ilícito de dois ex-dirigentes da Universidade. E dois empresários ligados ao esquema também apresentaram evolução patrimonial desproporcional e elevada movimentação bancária.

Estão sendo cumpridos 22 mandados de busca e apreensão e 20 mandados de prisão temporária, nos municípios de Cornélio Procópio, Uraí e Maringá. Adicionalmente, houve determinação judicial de constrição de bens e direitos dos principais investigados, como garantia de eventual ressarcimento de prejuízos causados à União.

Participam da operação 89 policiais federais, 16 auditores-fiscais e analistas-tributários da Receita Federal e servidores da CGU.

Os investigados poderão responder pelos crimes de peculato, corrupção passiva, corrupção ativa e fraudes à licitação, além de crimes contra a ordem tributária.

Representante da Receita Federal participará de coletiva à imprensa na sede da Polícia Federal em Londrina, marcada para as 10h30 desta terça-feira, quando serão repassadas maiores informações sobre a operação.

Fonte: Receita Federal