Imagem: Reprodução

OMS aprova vacina Oxford / AstraZeneca na lista de uso de emergência

Por ser relativamente fácil de armazenar, a vacina é mais adequada para uso em países de baixa e média renda.

Por Guilherme Campbell

A Organização Mundial da Saúde anunciou nesta segunda-feira (15), que duas versões da nova vacina da corona desenvolvida pela British AstraZeneca e Oxford University foram incluídas na lista de uso de emergência. Por ser relativamente fácil de armazenar, a vacina é mais adequada para uso em países de baixa e média renda.

A obtenção da certificação de uso de emergência da OMS significa que a vacina pode ser promovida em muitos países e regiões ao redor do mundo por meio do “Plano de Implementação da Nova Vacina contra Pneumonia Coronária” (COVAX) liderado pela organização. De acordo com a OMS, a vacina AstraZeneca tem uma taxa efetiva de 63,09%, e as duas versões aprovadas são produzidas pela SK Biosciences da Coréia do Sul e pelo Serum Institute of India.

Como parte de um plano apoiado pelas Nações Unidas, esse movimento permitirá que os parceiros da empresa enviem milhões de doses de vacinas para países ao redor do mundo para conter a propagação da epidemia.

O Diretor-Geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse: “Agora temos todas as condições para uma distribuição rápida de vacinas. Mas ainda precisamos expandir a produção. Vale ressaltar que embora a OMS não aprove ou regule as vacinas, não o faz aos países em desenvolvimento com fortes sistemas regulatórios avaliam a segurança e eficácia das vacinas.

As recomendações da OMS refletem amplamente a orientação anterior emitida pela Agência Reguladora de Medicamentos do Reino Unido e pela Agência Europeia de Medicamentos.

A vacina Oxford / AstraZeneca tem atraído mais atenção por ser mais barata e mais fácil de vender do que alguns concorrentes. Inclui a vacina Pfizer / BioNTech, listada pela Organização Mundial de Saúde no final de dezembro do ano passado. Medicamento de emergência.

Segundo as estatísticas, quase 109 milhões de pessoas em todo o mundo foram relatadas como infectadas com o novo coronavírus, que causou pelo menos 2,4 milhões de mortes. Mais de 210 países e regiões notificaram casos de infecção.

Segundo a Subdiretora-Geral Adjunta da OMS, Mariágela Simão, responsável pela obtenção de medicamentos e produtos para a saúde, disse que os países que ainda não conseguiram obter a nova vacina da corona podem finalmente começar a vacinar seus profissionais de saúde e outros grupos de alto risco.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também