“O Adenor está acima do Tite” – afirma o técnico da seleção

O treinador da Seleção Brasileira foi bombardeado de perguntas envolvendo o principal jogador brasileiro em atividade

Na manhã desta segunda-feira (03), concederam respostas aos jornalistas em coletiva de imprensa: o técnico Tite; o auxiliar-técnico, Cléber Xavier; e também, Edu Gaspar, coordenador técnico da Seleção Brasileira. Falar de futebol e Copa América foi um tanto quanto complicado, mas Tite conseguiu integrar suas respostas ao momento da Seleção Brasileira. O técnico afirmou que “o Adenor está acima do Tite”, ao visar o lado humano de cada jogador convocado.

O momento não é fácil. Polêmicas envolvendo o maior craque brasileiro na atualidade acabam se destacando nas vésperas da 46ª Copa América. Tite tem noção da dimensão do assunto, principalmente se tratando do seu principal jogador dentro de campo.

“A seleção está acima de todos nós. Continuaremos dando nosso melhor. O senso de equipe está acima de qualquer situação. Eu conheço o Neymar há pelo menos três anos e não vou me permitir julgá-lo pelo que está sendo acusado. Conversamos olho no olho, mas o teor não será consternado de forma alguma” – disse Adenor Bacchi.

Edu Gaspar, coordenador técnico da Seleção Brasileira, afirmou ter procurado uma assessoria jurídica junto a CBF, por não entender como são abordados os trâmites formais que cada órgão responsável pelas investigações dominam.

“Eu quero resolver isso o mais rápido possível. Fomos orientados em disponibilizar o Neymar no que for requerido quanto ao inquérito que está tramitando na justiça. Eu não entendo do processo feito pelos órgãos formais e responsáveis pela investigação, por isso procurei ajuda” – comentou Edu Gaspar, sobre o andamento das investigações.

Durante a entrevista coletiva, a Polícia Civil chegou ao CT Heleno Nunes para intimar Neymar à comparecer na próxima sexta-feira (07), na Cidade da Polícia, no Rio de Janeiro. A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) pretende fazer ainda uma perícia técnica no celular do atacante.

“Imprescindível não quer dizer insubstituível” – respondeu Tite sobre Neymar

Quando finalmente a coletiva de imprensa entrava dentro das quatro linhas, Neymar continuou a ser citado nas perguntas feitas pelos profissionais da imprensa que estiveram presentes na Granja Comary, em Teresópolis, – pelo menos dessa vez, Tite falou sobre as possíveis variações táticas que têm treinado junto aos jogadores convocados.

Tite afirmou que têm à disposição jogadores que suplementam suas convicções na estrutura tática da Seleção Brasileira. Deu o exemplo do Fernandinho, e também do Allan, que podem jogar juntos e liberar os laterais em chegadas ao fundo do campo. Também afirmou que os atacantes convocados são versáteis, como o caso de Richarlisson que pode jogar centralizado ou pelas pontas.

“Estou com minha cabeça voltada para o meu trabalho. O tempo vai nos dar as respostas cabíveis sobre os acontecimentos envolvendo o Neymar. Quero gastar minha energia no trabalho!” – frisou o treinador da Seleção Brasileira, ao ser insistido em responder sobre o atacante brasileiro envolvido em mais uma polêmica alarmante extra-campo.

Perguntado se Neymar seria imprescindível para o grupo, Tite respondeu que dentro de campo é, mas que isso não o tornaria insubstituível. O técnico deu o exemplo de profissionais em outros cargos para exemplificar o que estava dizendo.

“Como em qualquer profissão, ninguém é insubstituível. Portanto, dentro de campo, Neymar é imprescindível para o nosso grupo” – exemplificou Tite.

O treinador da Seleção Brasileira ainda afirmou que os jogadores que ainda não se apresentaram precisam de um choque de realidade. Alisson e Firmino, ambos do Liverpool e campeões da Champions League, se apresentam na manhã desta terça-feira (04), na Região Serrana do Rio. A dupla embarca junto com o restante do grupo para Brasília.

Cenas dos próximos capítulos

Na quarta (05), o Brasil enfrenta o Catar, no Estádio Mané Garrincha. No dia 09, contra Honduras, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, a Seleção Brasileira encerra a fase de preparação antes da estreia na Copa América, que será no dia 14 de junho, contra a Bolívia, no Estádio do Morumbi, em São Paulo.

A tendência dos onze que devem começar jogando contra o Catar, de acordo com o próprio técnico da seleção, serão: Éderson; Daniel Alves (capitão), Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Richarlisson, Gabriel Jesus e Neymar.

“Aprendemos que não é fundamental a continuidade dos jogadores titulares. Quem estiver melhor, joga” – ressaltou Cléber Xavier, auxiliar técnico da Seleção Brasileira.

Ao final da coletiva Tite destacou que se sente em paz perto da pureza das crianças e ganhou um abraço de uma profissional da imprensa que estivera presenta na tenda dos jornalistas no momento da entrevista.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Leave a Comment