Foto: Reprodução

Nações Unidas veem em 2021 um bom momento para o crescimento da utilização de energias renováveis

O otimismo para 2021 é o sentimento que domina. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) expressou confiança de que a energia limpa crescerá em nesse novo ano.

Por Guilherme Campbell

Mesmo que os objetivos climáticos estipulados pelas Metas de Desenvolvimento Sustentável 7, a respeito do acesso a fontes de energias limpas, se projetem como realidades ainda distantes. O Chefe da Energia do Programa de Desenvolvimento da ONU, Marcel Alers, sinalizou que o crescimento dos interesses e investimentos em politicas que envolvam energia limpas.

A realidade onde os combustíveis fósseis se apresentam como uma alternativa extremamente mais barata está ficando para trás. A acessibilidade a tecnologias mais limpas se mostra cada vez mais como uma nova realidade do mundo, onde em “algumas opções agora são mais baratas do que os combustíveis fósseis”, segundo Alers, apontando que desde 2010, o preço da energia solar abruptamente. “Agora é mais barato ir para o sol do que construir novas usinas de carvão na maioria dos países, e a energia solar é agora a eletricidade mais barata da história”, disse o funcionário do PNUD.

Mesmo diante de um ano extremamente difícil o setor de energias renováveis tem se mantido firme. “Esta queda nos preços, aliado ao progresso tecnológico e à introdução de modelos de negócios inovadores, significa que estamos agora em um ponto de inflexão” afirmou o chefe da PNUD.

 Ao longo de 2020, os países se comprometeram a reconstruir melhor, mais verde e mais justo. “Com o apoio da Promessa do Clima do PNUD, 115 países se comprometeram a enviar contribuições nacionalmente determinadas melhoradas”, disse o Sr. Alers. Entre outras coisas, ele observou que as economias de alta emissão, como China, Japão, Coréia do Sul, Reino Unido e União Europeia, assumiram compromissos de zero líquido e que o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, prometeu voltar a aderir ao Paris Acordo. “Essas promessas agora precisam ser traduzidas em ações”, disse o funcionário do PNUD. “Compromissos ambiciosos são um sinal forte e um primeiro passo necessário para alcançar emissões líquidas zero. Agora precisamos construir sobre eles”.

Para Alers uma produção de energia limpa também é uma opção vantajosa para todos na recuperação do COVID-19, uma vez que pode melhorar os cuidados de saúde para parte da população menos favorecida, ao mesmo tempo que fornece um fornecimento confiável de eletricidade – fundamental para o funcionamento dos centros de saúde. “À medida que as vacinas COVID-19 – algumas precisam ser armazenadas a -70 ° C – são lançadas, alimentar uma rede de frio sustentável e confiável será fundamental”, lembrou o Sr. Alers.

Investir em energias renováveis também significa investir em novos empregos. “À medida que o mundo está se urbanizando rapidamente, a eficiência energética em edifícios, refrigeração e aquecimento sustentáveis, planejamento urbano inteligente e opções de transporte sustentáveis ​​… são fundamentais para o futuro das cidades”, afirmou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também