O Hospital Alcides Carneiro (HAC) realizou neste sábado (10.11), o primeiro mutirão de atendimentos do mês de novembro com foco na campanha do Novembro Azul, preconizando o cuidado com a saúde de forma geral. Foram programadas 27 cirurgias, das quais 10 otorrino pediátricas e 17 de colangiopancreatografia retrógrada (CPRE). A ação contou com o apoio de cerca de 40 médicos do hospital e parceiros da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), vindos de São Paulo, Brasília, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

“Essa ação é de grande importância para os pacientes da rede pública da nossa cidade, que aguardam por procedimentos importantes para diagnóstico de doenças e tratamentos necessários para a melhoria da qualidade de vida. Temos parcerias importantes para a realização dessa ação, que atende inclusive, pacientes de outras regiões que não dispõem de profissionais e equipamentos oferecidos no mutirão”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.

De acordo com a coordenadora do Centro Cirúrgico do HAC, Rosângela Amaral, os atendimentos desse mutirão ajudam a diminuir a fila de espera de pacientes da rede pública. Entre os agendados, estão pacientes que aguardam por procedimentos que são definitivos para a melhora do quadro clínico ou necessários para o andamento de tratamentos médicos. “Temos pacientes aqui na fila de espera e hoje conseguimos atender uma boa parte. Até o final do ano pretendemos fazer mais duas ações para atender todos os pacientes”, ressalta Rosângela. No mutirão deste sábado, 10 crianças foram atendidas.

A filha de quatro anos da auxiliar administrativa, Michele Souza Domingues, 36 anos, foi uma das agendadas para a cirurgia otorrino pediátrica. “Desde que ela nasceu eu fui informada que ela precisaria da cirurgia. Minha filha tem muitos problemas respiratórios. É uma alívio poder fazer essa cirurgia hoje e resolver o problema dela”, destaca a mãe. Para o procedimento de CPRE, que atua na quebra ou remoção de pedra na via biliar ou realização de biopsia para análise de tumores, o hospital recebeu pacientes vindos inclusive de outras regiões. A professora aposentada, Laura Simões Bezerra, 54, é de Juiz de Fora e foi indicada para fazer o procedimento no HAC. “Esse é um exame muito caro e que não é disponibilizado na minha cidade. Fui indicada para vir a Petrópolis por conta do mutirão”, destaca a paciente.

Para os procedimentos de CPRE, o hospital contou com uma equipe de 20 profissionais da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), que além de médicos, trouxe os equipamentos necessário para fazer os procedimentos. O presidente estadual da SOBED, Djalma Ernersto Coelho Neto, ressalta a importância do mutirão contemplar essa especialidade médica. “O que o hospital está fazendo aqui é um marco. É a primeira vez que esse tipo de ação é feita no Brasil para essa patologia. Temos comumente mutirões de câncer de colo do útero, de mama e etc, mas para essa especialidade clínica, não se faz. Essa é uma carência para o SUS”, ressalta Djalma, acrescentando que para esse procedimento existe equipamento específico, que é uma alternativa à cirurgia: “esse equipamento possibilita o procedimento endoscópico, menos agressivo e contribui para a melhoria da qualidade de vida do paciente”. O equipamento possibilita o tratamento do câncer de pâncreas ou a retirada do cálculo das vias biliares.

O coordenador endoscopista do HAC, Miguel Koury Filho, destaca que o procedimento de CPRE não é muito comum e que é um grande benefício para a cidade contar com a parceria da equipe médica: “a partir dessa parceria temos a possibilidade de ter esse aparelho disponível para os procedimentos que serão realizados hoje”. Foram disponibilizados dois aparelhos para os procedimentos de CPRE, realizados em duas salas preparadas para receber os 17 pacientes. No próximo dia 14, o HAC fará um novo mutirão. Para este, estão programadas até o momento, 20 cirurgias urológicas.