O filme MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS, dirigido por Rafael Gomes, terá cena rodada nesse domingo, dia 2 de setembro, no palco do show do musico Milton Nascimento no Festival Coala. A cena com Mayara Constantino e Ícaro Silva fecha as filmagens do longa, que começou a ser filmado em abril deste ano.

O filme é uma adaptação para o cinema da peça homônima, vencedora do prêmio APCA de Melhor Peça Jovem. Assim como a peça, o longa tem como ponto central o romance entre três jovens: Isabela (Mayara Constantino), Ricardo (Victor Mendes) e Felipe (Caio Horowicz). Denise Fraga interpreta Berenice, mãe de Felipe, o papel de Alice, avó de Isabela, fica por conta de Suely Franco, e Gabriel, ex-namorado de Isabela, será interpretado por Ícaro Silva.

Milton Nascimento se junta, neste domingo, às participações musicais de MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS, que já contavam com Clarice Falcão, Fafá de Belém, Mauricio Pereira, Maria Gadú, Tim Bernardes e Cesar Lacerda.

MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS é uma produção da Lacuna Filmes, a mesma de Hoje eu Quero Voltar Sozinho, que tem Diana Almeida como produtora responsável, em mais uma parceria de distribuição da Vitrine Filmes.

Sinopse:
Baseado na peça homônima, MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS é uma história urbana, intensa e sentimental sobre três jovens de vinte e poucos anos provando que na vida, como nas canções de amor, só os clichês são verdade. Isabella sofre de um coração partido, Felipe quer desesperadamente se apaixonar, e Ricardo, seu melhor amigo, está apaixonado por ele.

Ficha Técnica:
Direção: Rafael Gomes
Produzido por: Diana Almeida
Coprodução: Rafael Gomes e Henrique Carvalhaes
Produtores associados: Daniel Ribeiro, Mayara Constantino e Victor Mendes
Produção executiva: Diana Almeida
Roteiro: Rafael Gomes
Elenco: Mayara Constantino, Victor Mendes Caio Horowicz, Icaro Silva, Denise Fraga, Suely
Franco, Bella Camero e Tess Amorim.
Participações especiais: Tim Bernardes, Fafá de Belém, Vinicius Calderoni, Natália Lage, Guilherme Goski, Clarice Falcão, Maria Gadu, Mauricio Pereira, Cesar Lacerda e Milton Nascimento
Direção de fotografia: Dhyana Mai
Direção de arte: Rafael Blas
Figurino: Melina Schleder
Montagem: Cristian Chinen e Daniel Ribeiro
Edição de som: Confraria de Sons & Charutos
Mixagem: Confraria de Sons & Charutos
Finalização: O2 Pós
Distribuição: Vitrine Filmes

SOBRE RAFAEL GOMES
Graduado em Cinema, Rafael Gomes roteirizou e dirigiu seis curtas metragens premiados e exibidos em diversos festivais ao redor do mundo, como França, Espanha, Alemanha, Portugal, Estados Unidos, Holanda e Itália. Além disso, assinou o roteiro de dois longas-metragens: De Onde Eu Te Vejo (2016) e 45 do Segundo Tempo (2019/ em produção), ambos dirigidos por Luiz Villaça, e prepara-se para lançar em breve seu primeiro longa, “45 Dias Sem Você”, filmado em cinco diferentes países. Também criou séries para televisão (“Tudo o que É Sólido Pode Derreter”, “3 Teresas” e “Vizinhos”) e recebeu alguns dos principais prêmios teatrais do país, dirigindo montagens como “Um Bonde Chamado Desejo”, Gota d’ Água [a Seco]” e “Os Arqueólogos”.

SOBRE A LACUNA FILMES
A Lacuna Filmes é uma produtora sediada em São Paulo, desde 2006. Dentre suas produções estão “Café com Leite” e “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, que juntos receberam mais de 115 prêmios, incluindo o Urso de Cristal no 58º Berlinale – Festival Internacional de Cinema de Berlim. Em 2014, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, longa de estreia da produtora, dirigido por Daniel Ribeiro, estreou no 64ª Berlinale e recebeu os prêmios FIPRESCI e Teddy. O filme também foi a inscrição oficial brasileira para o Oscar 2015. Em 2017, a Lacuna estreou seu novo filme, “As Duas Irenes”, na 67ª Berlinale.

SOBRE A VITRINE FILMES
Em oito anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 120 filmes. Entre seus maiores sucessos estão “Aquarius” e “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro e o americano “Frances Ha”, dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro em 2014.

Em 2017, a Vitrine lançou “O Filme da Minha Vida”, terceiro longa como diretor de Selton Mello, e “Divinas Divas”, dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano. Alguns dos mais importantes lançamentos deste ano da Vitrine foram “Paraíso Perdido”, de Monique Gardenberg e “O Processo”, de Maria Augusta Ramos, que já está entre os 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.