A peça MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS (prêmio APCA de Melhor Peça Jovem) foi adaptada para o cinema e as filmagens já estão a todo vapor. Assim como a peça, o longa terá como ponto central o romance entre três jovens: Isabela (Mayara Constantino), Ricardo (Victor Mendes) e Felipe (Caio Horowicz). Denise Fraga interpretará Berenice, mãe de Felipe. Já o papel de Alice, avó de Isabela, fica por conta de Suely Franco, e Gabriel, ex-namorado de Isabela, será interpretado por Ícaro Silva.

Música Para Cortar os Pulsos, em sua versão para os palcos, tornou-se um texto de referência na dramaturgia para jovens, tendo ficado três anos em cartaz e viajado para mais de 30 cidades brasileiras, colecionando prêmios, elogios da crítica e sucesso junto ao público. Além do amor, seus temas abarcam também a sexualidade e, especialmente na adaptação para o cinema, a influência da tecnologia nos relacionamentos contemporâneos.

Rafael Gomes, responsável pelo texto e direção da peça e agora também roteirista e diretor do filme, explica que a inspiração para a história partiu das relações amorosas a sua volta. “Eu via como todos os meus amigos estavam enredados em diferentes teias amorosas, e a maneira como esse era sempre um assunto, sempre ‘O’ assunto. E como esses amores todos sempre buscavam referências e apoios para se justificar, para se entender, para existirem, propriamente ditos… Eram músicas, filmes, livros, peças, toda e qualquer coisa que pudesse dar pistas, dar recheio, traduzir o que sentíamos e nos ensinar, por reflexo, o que estávamos sentindo.”

Inteiramente rodado na cidade de São Paulo, a paisagem urbana é mostrada por meio do cotidiano das personagens, como trabalho, faculdade, bares, ruas, cinemas, festas e transporte público. Porém, o diferencial do longa, segundo Rafael Gomes, será a diversificação dessas paisagens, saindo do comum e sugerindo um novo imaginário urbano ao expectador.

Na trilha sonora, assim como na peça, haverá participações especiais de músicos e nomes conhecidos da música brasileira. MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS é uma produção da Lacuna Filmes, a mesma de Hoje eu Quero Voltar Sozinho, que tem Diana Almeida como produtora responsável, em mais uma parceria de distribuição da Vitrine Filmes, que também foi responsável pelo lançamento do filme dirigido por Daniel Ribeiro.
Sinopse:
Baseado na peça homônima, MÚSICA PARA CORTAR OS PULSOS é uma história urbana, intensa e sentimental sobre três jovens de vinte e poucos anos provando que na vida, como nas canções de amor, só os clichês são verdade. Isabella sofre de um coração partido, Felipe quer desesperadamente se apaixonar, e Ricardo, seu melhor amigo, está apaixonado por ele.

 

Ficha Técnica:
Direção: Rafael Gomes
Produzido por: Diana Almeida
Coprodução: Rafael Gomes e Henrique Carvalhaes
Produtores associados: Daniel Ribeiro, Mayara Constantino e Victor Mendes
Produção executiva: Diana Almeida
Roteiro: Rafael Gomes
Elenco: Mayara Constantino, Victor Mendes Caio Horowicz, Icaro Silva, Denise Fraga, Suely
Franco, Bella Camero e Tess Amorim.
Participações especiais: Tim Bernardes, Fafá de Belém, Vinicius Calderoni, Natália Lage, Guilherme Goski, Clarice Falcão, Maria Gadu e Mauricio Pereira
Direção de fotografia: Dhyana Mai
Direção de arte: Rafael Blas
Figurino: Melina Schleder
Montagem: Cristian Chinen
Edição de som: Confraria de Sons & Charutos
Mixagem: Confraria de Sons & Charutos
Finalização: O2 Pós
Distribuição: Vitrine Filmes

 

SOBRE RAFAEL GOMES
Graduado em Cinema, Rafael Gomes roteirizou e dirigiu seis curtas metragens premiados e exibidos em diversos festivais ao redor do mundo, como França, Espanha, Alemanha, Portugal, Estados Unidos, Holanda e Itália. Além disso, assinou o roteiro de dois longas-metragens: De Onde Eu Te Vejo (2016) e 45 do Segundo Tempo (2019/ em produção), ambos dirigidos por Luiz Villaça, e prepara-se para lançar em breve seu primeiro longa, “45 Dias Sem Você”, filmado em cinco diferentes países. Também criou séries para televisão (“Tudo o que É Sólido Pode Derreter”, “3 Teresas” e “Vizinhos”) e recebeu alguns dos principais prêmios teatrais do país, dirigindo montagens como “Um Bonde Chamado Desejo”, Gota d’ Água [a Seco]” e “Os Arqueólogos”.

 

SOBRE A LACUNA FILMES
A Lacuna Filmes é uma produtora sediada em São Paulo, desde 2006. Dentre suas produções estão “Café com Leite” e “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, que juntos receberam mais de 115 prêmios, incluindo o Urso de Cristal no 58º Berlinale – Festival Internacional de Cinema de Berlim. Em 2014, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, longa de estreia da produtora, dirigido por Daniel Ribeiro, estreou no 64ª Berlinale e recebeu os prêmios FIPRESCI e Teddy. O filme também foi a inscrição oficial brasileira para o Oscar 2015. Em 2017, a Lacuna estreou seu novo filme, “As Duas Irenes”, na 67ª Berlinale.

 

SOBRE A VITRINE FILMES
Em oito anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 120 filmes. Entre seus maiores sucessos estão “Aquarius” e “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, de Daniel Ribeiro e o americano “Frances Ha”, dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro em 2014.

Em 2017, a Vitrine lançou “O Filme da Minha Vida”, terceiro longa do ator e diretor Selton Mello, e “Divinas Divas”, dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.
Neste ano, os principais lançamentos da distribuidora serão “Benzinho”, exibido em nos festivais de Sundance e Rotterdam, dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, e “Paraiso Perdido”, de Monique Gardenberg.

Crédito da foto: Divulgação