Museu da Imagem e do Som oferece na web consulta a banco de dados com 48 mil itens

Público não precisará mais ir à sede do Museu da Imagem e do Som, na região central do Rio, para ter acesso ao catálogo de filmes, fotografias, depoimentos e outros itens do acervo
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro (MIS) está disponibilizando na internet a consulta a um b banco de dados com mais de 48 mil itens, entre filmes, fotografias, cartazes, depoimentos e livros, entre outros. São preciosidades como, por exemplo, o documentário “As Sete Maravilhas do Rio de Janeiro” (1934), o depoimento do músico Pixinguinha e fotografias de Augusto Malta, cujos resumos catalogados passam a ser vistos, como consulta prévia, em qualquer computador ou celular no mundo inteiro. O acesso aos conteúdos propriamente ditos necessita de visitação à instituição e solicitação oficial, em caso de utilização.


A partir de agora, pesquisadores e o público em geral não precisam mais ir à sede da entidade, na Lapa, na região central da capital, para saber o que está catalogado e poderão solicitar por e-mail o acesso ao conteúdo propriamente dito, por meio do endereço [email protected] A consulta ao banco de dados pode ser feita no próprio site da instituição (www.mis.rj.gov.br), clicando na aba “Pesquisa Online”.

Os estudiosos e pesquisadores terão acesso ao acervo do Setor Audiovisual, com 2.292 itens; aos Depoimentos para a Posteridade, com 1.086 depoentes, à Biblioteca, com 7.711 livros; ao Setor Textual, com 37.346 itens; e ao Tridimensional, com 920 objetos. Em breve, o museu vai oferecer também acesso aos setores Iconográfico, de Partitura e Sonoro.


– O MIS dá mais um exemplo no caminho que estamos trilhando de democratizar ao máximo o acesso à Cultura. O acervo da instituição é de uma riqueza inestimável e pertence a todos os cidadãos fluminenses, que passam agora a poder consultá-lo de qualquer canto do estado. Além disso, estamos divulgando nossa memória para o mundo inteiro – afirmou a secretária Danielle Barros.

– No início de fevereiro de 2021, ao assumir a presidência da Fundação Museu da Imagem e do Som do Rio, além de outras atividades criadas no museu, reuni um grupo de trabalho para o desenvolvimento de um banco de dados que trouxesse a oportunidade de colocarmos para a sociedade parte do nosso conteúdo para estudo e pesquisa. Com satisfação, estamos entregando um banco de dados próprio e desenvolvido internamente, sem ônus nenhum para o Estado do Rio de Janeiro. Agradeço o empenho de todos os servidores do MIS que se dedicaram na elaboração deste novo sistema on-line – destacou o presidente do MIS, Cesar Miranda Ribeiro.

O banco de dados será atualizado diariamente, e seu incremento vem sendo proporcional à grandeza do museu. Como um todo, o acervo do MIS é formado por 33 coleções particulares de importantes personalidades da cultura brasileira, doadas ou adquiridas pela instituição, e não para de crescer.

Fonte: Governo do Estado do Rio

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.