Ilustrativa

Mulher com suspeita de Sarampo morre em hospital de Petrópolis

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Uma mulher, de 32 anos, morreu na tarde desta sexta-feira (30), com suspeita de Sarampo. Ela é a primeira vítima, vindo a falecer, por suspeita da doença no município de Petrópolis. A paciente estava internada na sala vermelha do Hospital São Lucas (Hospital Unimed) desde o dia 26 de agosto, e a confirmação da morte, a princípio, se deu pela família. Segundo a tia da mulher, a paciente esteve se consultando no hospital há uma semana, mas nenhum médico teria diagnosticado o Sarampo.

Há nove dias, a mulher deu à luz a um bebê que foi diagnosticado com a doença, mas segundo a família foi medicado e passa bem.

A Diretoria do Hospital Unimed conformou, agora a noite, a morte da paciente, e informa que tem contribuído com a vigilância epidemiológica do município com notificações compulsórias necessárias para cumprimento da lei. “A Diretoria do Hospital Unimed informa que uma paciente que estava internada sob seus cuidados e com suspeita de Sarampo faleceu no dia de hoje. Desde a internação da mesma o hospital vem subsidiando a vigilância epidemiológica do município bem como realizando as notificações compulsórias necessárias para o fiel cumprimento da lei, permitindo ás autoridades competentes exercer seu trabalho de forma profissional e confiável”, diz a nota do Hospital.

A Prefeitura de Petrópolis também se manifestou sobre o caso. Ela informa que vinha acompanhando o caso desde a última segunda-feira (26/08), quando a paciente foi internada.

NOTA DA PREFEITURA

A Coordenadoria de Vigilância Epidemiológia foi comunicada nesta sexta-feira (30.08) sobre a morte de uma mulher com suspeita de sarampo. Ela já vinha sendo acompanhada desde a última segunda-feira (26.08) – mesmo dia que a unidade hospitalar da rede privada que atendeu a paciente, notificou o setor de epidemiologia. O caso, que está sendo acompanhado pela Secretaria de Saúde do Estado, não é conclusivo. O material colhido para exame laboratorial após a morte da mulher passará por análise do Laboratório Noel Nutels, do Rio de Janeiro, unidade referência para o caso e tem prazo de 7 dias para ficar pronto.

Como medida preventiva, a Secretaria de Saúde já realizou o bloqueio de foco, aplicando a vacina em todos os profissionais de saúde que tiveram contato com a paciente e entre os familiares. Desde que começaram a surgir casos de sarampo pelo Brasil, especificamente em São Paulo, o município vem adotando a orientação do Ministério da Saúde, ampliando a aplicação da vacina para menores de um ano, com idade entre 6 e 11 meses de vida. A partir de um ano de idade, a imunização já consta na caderneta vacinal.

Para garantir a imunização, a Secretaria de Saúde já vinha orientando que as pessoas comparecessem às 15 salas de vacinas para verificação das cadernetas. O município está com os estoques da vacina em dia. Atualmente conta com 2.600 doses e na próxima terça-feira (03.09), outra remessa de 1.200 vacinas será disponibilizada para a cidade. O último caso de sarampo registrado em no país foi em 1997.

Além das crianças entre 6 e 11 meses de idade que passam a receber a dose, a recomendação para a imunização contra o sarampo é que pessoas entre 1 e 29 anos e os profissionais de saúde recebam duas doses. Pessoas entre 30 e 49 anos, que ainda não foram vacinadas, precisam de uma única dose. A vacina não é indicada para gestantes e pessoas imunodeprimidas.

Para estimular a verificação das cadernetas de vacina da população, a Secretaria de Saúde realiza mutirões de vacinas periodicamente em comunidades. A Secretaria de Saúde mantém abastecidas as salas de vacina.

(matéria atualizada em 31/08, à 00h11)

Crédito da foto: Ilustrativa

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.