MPRJ realiza 17 operações contra construções irregulares em áreas de milícia

De acordo com um órgão, um prejuízo de R$ 45 milhões foi causado nas organizações criminosas.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Força-Tarefa do Grupo de Atuação Especializada no Combate ao Crime Organizado realizou 17 operações, nos últimos 5 meses, para demolição de construções irregulares em áreas sob influência de milícias, tendo como resultado um prejuízo estimado em mais de R$ 45 milhões para essas organizações criminosas, de acordo com informações do Ministério Público do Rio de Janeiro.

Foram colocados abaixo shoppings, prédios residenciais, casas de show, lava-jatos, quiosques, estacionamentos, bares, entre outros. Além disso, o órgão informou que diversas investigações já constataram que o ramo imobiliário está entre os negócios ilegais mais rentáveis para os milicianos, que realizam grilagem, construção, venda e locação ilegal.  Posteriormente, com os locais ocupados, ainda recebem valores através da extorsão de moradores e comerciantes com cobranças ilegais de taxas referentes a “serviços” prestados. Além disso, utilizam ligações clandestinas de água e energia para o abastecimento dos empreendimentos.

A força-tarefa foi criada em outubro de 2021, por ato do procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, com o objetivo de auxiliar promotores no combate à ocupação irregular do solo no Município do Rio de Janeiro e aos ilícitos relacionados nas áreas criminal e de meio ambiente, entre outras, em especial, nas áreas de planejamento que abrangem bairros das zonas Oeste e Norte da cidade, de acordo com o MPRJ. As operações ocorrem em conjunto com as Secretarias municipais de Meio Ambiente, de Ordem Pública e de Conservação, além da Polícia Militar.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.