Com uma representação de R$ 660 milhões do PIB anual do município, Petrópolis trabalha para consolidar uma de suas principais vocações: o turismo. Em 2017, o setor foi uma das prioridades no governo municipal, com a criação de uma pasta exclusiva – a Turispetro, e todo movimento feito para divulgar a cidade em todo país e até mundo afora mostrou resultados que já começam a ser sentidos na economia. Pontos turísticos, por exemplo, registraram crescimento no número de visitantes se comparado ao ano anterior. Assim como a ocupação nos hotéis e pousadas do Centro Histórico e distritos e o movimento dos restaurantes. Os dados apontam que a cidade recebeu pelo menos 30% a mais de turistas no ano passado em comparação a 2016 nos fins de semana.

“Petrópolis tem um potencial de desenvolvimento no turismo que nunca foi trabalhado tão a fundo. Uma cidade com essa beleza, rica em história e cultura, com um potencial incrível, tem que ser tratada da forma que merece. Estamos trabalhando para divulgar nosso município nos quatro cantos do país e unindo forças com o empresariado, garantindo ao turista comércio, restaurantes, hotéis, pontos turísticos, museus, e todos os nossos equipamentos históricos e culturais de braços abertos para recebê-los”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.

Um dos termômetros do turismo em Petrópolis, O Museu Casa de Santos Dumont, um dos atrativos mais procurados pelos visitantes, registrou a passagem de 11.403 pessoas a mais em todo o ano de 2017 do que o ano anterior. Crescimento também no Museu Casa do Colono, com um aumento de 9,32% no ano passado, passando de 14.799 para 16.178 mil visitantes. No total, a cidade recebe 1,6 milhão de pessoas por ano. Destaque para as grandes festas: pela Bauernfest passaram cerca de 320 mil pessoas, que injetaram R$ 40 milhões na economia da cidade. E o Natal Imperial contou com um público de 330 mil pessoas, com a injeção de R$ 220 milhões no município. Durante os eventos, rede hoteleira e restaurantes comemoraram seus estabelecimentos lotados.

“Mais do que divulgar Petrópolis, estamos cuidando dos nossos equipamentos históricos e culturais, valorizando o que temos de melhor. Durante todo o ano de 2017, trabalhamos para captar verbas federais, retomamos os Centros de Informação Turística, consolidamos ainda mais as festas tradicionais na cidade, fizemos parcerias com as iniciativas privadas, apoiamos iniciativas para fortalecer as vocações mais recentes da cidade, como a produção de cervejas artesanais, ou seja, uma série de ações para fomentar o turismo em Petrópolis e fortalecer a imagem da cidade, que é um dos destinos mais procurados do estado do Rio”, avalia o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

Um dos pilares da economia da cidade, o turismo conta com cerca de 4.500 empregos diretos ligados ao setor em Petrópolis, em hotéis, pousadas, restaurantes e agências de viagem. Os principais tipos de turismo são histórico-cultural, ecoturismo, turismo rural, turismo de compras, gastronômico, cervejeiro e religioso.

 

Secretarias empenhadas nas melhorias para o turismo

Na atual gestão, o turismo é uma prioridade do governo e diversas secretarias estão empenhadas em fazer com que este setor cresça ainda mais. Para dar mais segurança, por exemplo, a Ronda Turística foi reativada pela Guarda Civil em fevereiro de 2017, depois de cinco meses sem funcionamento. Ela roda todos os pontos turísticos e, eventualmente, o patrulhamento também é realizado com auxílio de cães. Geralmente, são oito agentes que atuam no serviço. Porém, nas férias de fim de ano, o efetivo e os carros que atendem a Ronda Escolar foram deslocados temporariamente para apoiar a equipe de turismo, subindo para 15 o número de guardas neste trabalho e três veículos.

“A função da Ronda Turística é garantir o embarque e desembarque em ônibus de turismo nos locais indicados, prestar orientação e informações ao visitante e dar segurança a ele”, explica o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni.

O serviço vai ser melhorado pela instituição. Ainda no início deste ano, a Guarda vai promover cursos de inglês e espanhol para agentes que, no futuro, serão agregados a Ronda Turística, permitindo atender com mais facilidade e qualidade os visitantes estrangeiros.

O setor também recebeu atenção especial da CPTrans. Maior exemplo da atuação do trânsito que beneficiou o turismo, a mudança de mão da Rua Padre Siqueira foi fundamental para diminuir o impacto do tráfego durante a Bauernfest. Com a cidade lotada em seus 10 dias de evento, petropolitanos e turistas chegaram até a festa sem problemas. Só de ônibus de turismo foram cerca de 350 – a maioria, 110 deles, no último dia de festa. Outro ponto para o sucesso do evento foi a ampla divulgação das rotas alternativas, voltadas às pessoas que não tinham a festa como destino final.