Foto: Reprodução / Twitter

Morre Nilo Figueiredo, ex-presidente da Portela

Ele morreu em decorrência de complicações do Alzheimer
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O ex-presidente da Portela, Nilo Figueiredo, morreu nesta sexta-feira (21), aos 85 anos, em decorrência de complicações do Alzheimer.

Nilo deixa filhos e netos, incluindo Nilo Mendes Figueiredo Junior, ex-vice-presidente da Portela. Nos últimos anos, ele vivia numa clínica de repouso, recebendo a visita dos amigos mais próximos e de parentes.

Oficial da Marinha, Nilo começou a frequentar a Portela na década de 1960, numa época em que oficiais graduados das Forças Armadas ainda não participavam ativamente das escolas de samba. Ele quebrou barreiras e se tornou vice-presidente da Portela nos desfiles de 1970 e 1971, sagrando-se campeão com o enredo “Lendas e Mistérios da Amazônia”.

Afastou-se da escola após a eleição de Carlos Teixeira Martins, logo após o carnaval de 1971, mas manteve-se como uma das lideranças políticas da Portela ao longo da década de 1970. Por muitos anos foi um dos responsáveis pela segurança do Sambódromo, trabalhando junto à LIESA.

A relação com a Portela, entretanto, nunca acabou. Em 2003, liderou a ocupação da quadra de ensaios por um grupo de descontentes com a gestão de Carlos Teixeira Martins, o que gerou o movimento “Nova Portela”. Após uma série de disputas judiciais, em agosto de 2004 Nilo Mendes Figueiredo derrotou Marcos Aurélio Fernandes, candidato indicado por Carlinhos Maracanã, tornando-se presidente da Portela.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.