Reprodução da internet

Morre a atriz Ruth de Souza aos 98 anos

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A primeira atriz negra a se apresentar no Theatro Municipal do Rio, Ruth de Souza morreu neste domingo (28), aos 98 anos. Ela estava internada no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Copa D’Or, no Rio.

Ruth também foi a primeira brasileira indicada a um prêmio internacional de cinema — o Leão de Ouro, no Festival de Veneza de 1954. Foi pioneira ainda no Teatro Experimental do Negro. Em 1948, estreou no cinema num papel de Terra Violenta, adaptado do romance Terras do Sem Fim, de Jorge Amado

Ruth de Souza dedicou mais de sete décadas à dramaturgia e é considerada um ícone para várias gerações de atores. Na Globo, atuou em dezenas de novelas, como O Bem-Amado, Helena e Sinhá Moça. No carnaval deste ano, ela foi homenageada pela escola de samba carioca Santa Cruz.

História

Ruth Pinto de Souza nasceu no Rio de Janeiro, no bairro do Engenho de Dentro. Até os 9 anos de idade viveu numa fazenda em Minas Gerais. Com a morte do pai, ela e a mãe voltaram a morar no Rio, em uma vila, no bairro de Copacabana.

Interessa-se pelo teatro e, em 1945, ingressa no Teatro Experimental do Negro, grupo liderado por Abdias do Nascimento. Ela abriu caminho para o artista negro no Brasil, tendo participado, ao lado de outras mulheres negras, do primeiro grupo de teatro negro a subir ao palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro com a peça O Imperador Jones, de Eugênio O’Neill. Em 1959, vive outro momento especial no palco, quando protagoniza Oração para uma Negra, de William Faulkner, com Nydia Lícia e Sérgio Cardoso, no Teatro Bela Vista, em São Paulo.

Recebe bolsa de estudo da Fundação Rockefeller e passa um ano nos Estados Unidos, estudando na Universidade de Harvard e na Academia Nacional do Teatro.

Estreia no cinema em 1948 no filme Terra Violenta, baseado no romance Terras do Sem-Fim, de Jorge Amado. Participa de inúmeras produções, tais como Falta Alguém no Manicômio (1948), Também Somos Irmãos (1949), Ângela (1951) e Terra É Sempre Terra (1952). Em 1953, conquista reconhecimento nacional por sua participação em Sinhá Moça, o que impulsionou sua carreira de atriz cinematográfica.

Na década de 50, participa de radionovelas e começa a atuar nos teleteatros da TV Tupi. Na década seguinte, adquire sucesso na televisão com a telenovela A Deusa Vencida, de Ivani Ribeiro, na TV Excelsior. Em 1968, integra ao elenco da TV Globo onde se torna a primeira atriz negra a protagonizar uma telenovela: Passo dos Ventos de Janete Clair e A Cabana do Pai Tomás (1969).

Foi homenageada pela escola de samba carioca Acadêmicos de Santa Cruz no carnaval de 2019, com o enredo “Ruth de Souza – Senhora liberdade. Abre as asas sobre nós”.

A atriz faleceu no domingo (28/07/2019) aos 98 anos. Ela estava internada no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Copa D’Or, em Copacabana, na Zona Sul do Rio.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.