Uma denúncia enviada para o Giro Serra, relata o atendimento realizado por um médico na Unidade de Pronto Atendimento de Cascatinha.

Segundo a paciente Yanca Crevelande Miranda, de 21 anos, ao dar entrada na UPA na manhã desta quarta-feira (29/08) foi encaminhada para o consultório. Ao chegar na sala o médico estaria mexendo no celular e assim permaneceu por alguns minutos até atende-la. Ainda de acordo com Yanca, o médico em momento algum se levantou da cadeira para examiná-la.

Os sintomas descritos pela paciente se assemelham ao de conjuntivite, mas ela deixou a UPA sem nenhuma receita ou orientação sobre como proceder com o tratamento em casa. A paciente ainda teria recebido atestado médico e foi liberada.

Essa noite eu tive uma irritação no olho direito, acordei pela manhã com o olho todo colado com aspecto de conjuntivite, fui pra upa do Itamarati e quando entrei no consultório do médico ele estava mexendo no celular e assim ficou por alguns minutos, nem respondeu o meu bom dia ou falou qualquer outra coisa! Em momento nenhum levantou da cadeira pra me examinar e nem me medicar direito medicou. Agora eu pergunto do que adianta uma unidade de pronto atendimento 24 horas se não tem pessoas capacitadas ou pelo menos com o mínimo de educação?! “Medicina por amor”, né? As upas de Petrópolis estão uma vergonha” – denuncia Yanca.

Em nota, a Secretaria de Saúde afirmou que a paciente foi prontamente avaliada por um dos médicos de plantão e que foi orientada sobre como proceder ao tratamento em casa, com uso de colírio.

A paciente deu entrada na UPA Cascatinha às 10h01 desta quarta-feira (29.08), sendo atendida e prontamente avaliada por um dos médicos de plantão. Ela foi orientada sobre como proceder ao tratamento em casa, com uso de colírio, recebeu atestado médico e foi liberada às 10h13“, diz a nota.

 

Por: Gabriel Malheiros