A montagem do Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) entrou na segunda fase nesta segunda-feira (26.02). A empresa responsável pelo trabalho, a Emive, começou a fazer a instalação da infraestrutura no Centro de Cultura Raul de Leoni – que servirá de base para a central de monitoramento – e dos pontos que terão câmeras. Estão sendo feitas as divisórias de cada uma das seis ilhas de monitoramento.A previsão é de o trabalho no Centro de Cultura seja concluído em 20 dias e, em seguida, irá continuar nas ruas.

O trabalho que está sendo feito é na primeira parte da central de monitoramento. Neste momento, serão instaladas câmeras em 46 pontos em todos os distritos. Posteriormente, a cidade terá mais 40 locais monitorados.

“A central de monitoramento vai ser uma ferramenta muito importante para dar segurança para a população e ainda vai possibilitar ainda o trabalho mais integrado não apenas de Guarda Civil, PM, delegacias, mas também da CPTrans, da Defesa Civil, dos bombeiros”, destaca o prefeito Bernardo Rossi.

A base do Ciop tem 90 m² e vai abrigar equipamentos como nobreaks, computadores, monitores e televisores na sala de monitoramento, entre outros materiais. Em cada ponto com câmera, a principal instalação é de postes de cinco metros de altura, que vão sustentar as câmeras.

“Nós fizemos todo levantamento de campo em janeiro para poder iniciar esta segunda fase. Primeiro estamos fazendo a montagem das divisórias e já nesta terça, entramos na parte elétrica. A gente começa essa fase pela base da central de monitoramento enquanto os postes estão sendo preparados e trazidos para a cidade”, explica o engenheiro da empresa, Rodrigo Gonçalves Silva.

Em seguida, a terceira fase do trabalho envolve a adequação da rede de transmissão de dados e aí, em quarto lugar vem a instalação das câmeras. O quinto passo é o treinamento dos agentes que vão acompanhar as imagens 24 horas por dia, quando eles vão aprender a utilizar os recursos disponíveis no sistema. O último é o monitoramento na prática.

Serão monitorados locais como Praça de Nogueira, Praça de Corrêas, Retiro, Palácio de Cristal, 13 de Maio, Praça da Liberdade, Praça da Águia, além da Rua do Imperador, Rua Teresa, Paulo Barbosa, Praça da Inconfidência, Duas Pontes, Valparaíso, Mosela, Parque Municipal de Itaipava, Pedro do Rio, Ipiranga, Quissamã, Itamarati, Cascatinha, Montecaseros e Araras, além das entradas da cidade, no Bingen, no Quitandinha, no Alto da Serra, no Trevo de Bonsucesso e na Posse.As câmeras gravam em 360º, em alta definição, fazem reconhecimento facial e de placas de veículos.

“É um grande passo para a segurança e para outros serviços no município. É apenas a primeira etapa, depois ainda teremos mais câmeras e vamos chegar a 86 pontos monitorados em toda cidade. É a tecnologia de alto padrão sendo empregada no município, que vai permitir leitura facial e de placas, que vai facilitar o acionamento de cada órgão que estará integrado neste trabalho e permitir uma resposta ainda mais rápida à população”, diz o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni, que acompanhou o início da montagem do Ciop.

Fonte: Prefeitura de Petrópolis