Os números desta quinta edição da Mobilização Nacional bateu o recorde das edições anteriores. Participaram da ação 2.613 agentes, entre PMs, PRFs, agentes de trânsito e guardas municipais, espalhados pelo Brasil. Ao todo, foram recolhidos 2.326 documentos (CNH e CRLV), 1.144 veículos foram removidos para depósito e 260 prisões efetuadas. As blitzes foram realizadas em pontos estratégicos em todo o país. Nas Rodovias Federais, as operações foram promovidas pela PRF.

Para o coordenador da Operação Lei Seca do Rio de Janeiro, tenente-coronel Marco Andrade, a ação deste sábado (14/4) superou o sucesso das anteriores e vem cada vez mais integrando as operações do país.

– Nosso objetivo é chamar cada vez mais a atenção da sociedade brasileira sobre os riscos de beber e dirigir. A Lei Seca tem a missão de provocar mudanças de comportamento na sociedade. E, além de conscientizar os motoristas, e toda população, temos um objetivo comum, que é a redução de perdas irreparáveis decorrentes dos acidentes de trânsito em consequência dessa mistura letal do álcool e direção – disse o coordenador da operação fluminense.

Estatísticas
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o trânsito mata 47 mil pessoas por ano no Brasil e deixa 400 mil com alguma sequela. Estes dados colocam o Brasil em 4º lugar no ranking de acidentes nas Américas, atrás da República Dominicana, Belize e Venezuela. Um estudo desenvolvido pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), da Escola Nacional de Seguros, apontou que a Lei Seca salvou 41 mil vidas desde 2008 e poupou ao país mais de R$ 550 bilhões, ao evitar perda de produto e renda. A Mobilização Nacional foi idealizada com o objetivo de reforçar a necessidade de mudanças de hábitos que geram maior segurança no trânsito.

 

Foto: Operação Lei Seca intensifica ações no interior. Na foto OLS em Nova Friburgo / Crédito: Clarice Castro

Fonte: GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO