Ministério da Saúde admite dificuldade de fornecimento de vacinas de 2ª dose da CoronaVac

Nas últimas semanas, vários municípios de diversos estados e regiões do país limitaram ou suspenderam a imunização por falta de doses para a segunda aplicação.

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, admitiu nesta segunda-feira (26) que há “dificuldade” no fornecimento de vacinas para a aplicação da segunda dose da CoronaVac, contra a Covid-19. Queiroga deu a declaração enquanto participava de uma sessão que discute medidas de combate à doença, no Senado.

Nas últimas semanas, vários municípios de diversos estados e regiões do país limitaram ou suspenderam a imunização por falta de doses para a segunda aplicação.

“Tem nos causado certa preocupação a CoronaVac, a segunda dose. Tem sido um pedido de governadores, de prefeitos, porque, se os senhores lembram, cerca de um mês atrás se liberou as segundas doses para que se aplicassem e agora, em face de retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade com essa 2ª dose”, disse Queiroga no Senado.

No dia 21 de março, o Ministério da Saúde mudou a orientação e autorizou que todas as vacinas armazenadas pelos estados e municípios que garantiam a segunda dose fossem utilizadas como primeira dose.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também