Ministério Público pede que Flordelis seja levada a júri popular

A manifestação relata a complexidade do caso, onde 11 réus são acusados de crimes de tentativa de homicídio, homicídio, associação criminosa e uso de documento falso.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), manifestou-se em alegações finais no processo relativo à denúncia contra a deputada federal Flordelis dos Santos Souza e outros dez réus acusados pelo homicídio de Anderson do Carmo, ex-marido da deputada.

Após a realização de seis audiências, quando foram ouvidas cerca de 30 testemunhas e realizados os interrogatórios dos acusados, diante dos sólidos e veementes elementos do gigantesco acervo probatório colhido, o MPRJ manifestou-se no sentido de que sejam levados a júri popular a deputada Flordelis, sua filha Simone dos Santos Rodrigues, sua filha afetiva Marzy Teixeira da Silva, sua neta Rayane dos Santos Oliveira e seu filho afetivo (e ex-genro) André Luiz de Oliveira pelo homicídio triplamente qualificado do Pastor Anderson do Carmo, ocorrido em 16 de junho de 2019.

A manifestação relata a complexidade do caso, onde 11 réus são acusados de crimes de tentativa de homicídio, homicídio, associação criminosa e uso de documento falso. Segundo a denúncia, Flordelis foi responsável por arquitetar o homicídio, arregimentar e convencer o executor direto e demais acusados a participarem do crime sob a simulação de ter ocorrido um latrocínio. A deputada também financiou a compra da arma e avisou da chegada da vítima no local em que foi executada, segundo a denúncia.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também